De capitão a alvo de cornetadas: a 'via crucis' de Sander

No clube desde 2017, Jogador vive a pior fase vestindo a camisa do Sport

por Geraldo de Fraga seg, 14/09/2020 - 15:20
Rafael Bandeira/LeiaJáImagens/Arquivo No clube desde 2017, Jogador vive a pior fase vestindo a camisa do Sport Rafael Bandeira/LeiaJáImagens/Arquivo

Desde que chegou à Ilha do Retiro, em 2017, Sander Henrique Bortolotto colecionou mais bons do que maus momentos. Foram dois títulos pernambucanos, um rebaixamento para a Série B em 2018, mas um acesso relâmpago à Série A já em 2019. No ano passado, o lateral esquerdo chegou ao status de capitão da equipe rubro-negra e agradava a torcida pela sua dedicação.

Nas redes sociais, Sander viralizava pelos seus vídeos que mostravam um atleta extremamente dedicado aos treinamentos físicos. Em 2019, foi homenageado pelos 100 jogos defendendo o clube.

Mas em 2020, o amor acabou. A má fase do Leão no primeiro semestre não poupou ninguém, mas nesse início de Brasileirão, quando o Sport ensaia o mínimo de competitividade no campeonato mais difícil da temporada, o camisa 12 virou o alvo preferido dos insatisfeitos.

No começo do mês, o desgaste veio a público com a notícia de que Sander, que tem contrato até 2022, teria pedido para ir embora. Com a situação, ele desfalcou o time por duas partidas. Grande parte da torcida dizia que queria mesmo sua saída. A diretoria, no entanto, contornou e ele voltou a reintegrar o elenco.

Seu retorno ao time titular, porém, foi uma verdadeira ‘via crucis’. No domingo (13), diante do Palmeiras, Sander não deu uma dentro. Além de ajudar o rival a empatar o jogo, recuando uma bola toda errada para o goleiro, ele foi expulso ainda no primeiro tempo. Menos mal que o Sport conseguiu arrancar um empate, mas a performance deve fazer com que o antigo capitão seja sacado do time titular. Até hoje, foram 121 partidas pelo Leão e dois gols marcados. Em 2020, foram 19 jogos.

COMENTÁRIOS dos leitores