Técnico do Paysandu ataca arbitragem da CBF

"Nós fomos roubados, assaltados", afirmou Hélio dos Anjos sobre pênalti contra o time bicolor marcado aos 49 minutos do segundo tempo

seg, 09/09/2019 - 09:45
Fanpage Náutico Jeferson, goleiro do Náutico, vibra depois de defender pênalti de Wellington Reis que selou o acesso Fanpage Náutico

O técnico bicolor Hélio dos Anjos atacou a Comissão de Arbitragem da CBF depois da eliminação do Paysandu da Série C do Campeonato Brasileiro, no domingo (8), com derrota para o Náutico nos pênaltis. Hélio dos Anjos criticou a marcação de uma penalidade contra o time paraense aos 49 minutos do segundo tempo, lance que resultou no empate dos pernambucanos. O placar de 2 a 2 no tempo nornal levou a partida para a decisão por pênaltis e o Timbu venceu por 5 a 3.

O técnico disparou contra o árbitro Leandro Pedro Vuaden, que apitou o jogo, e o chefe da arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba. “Não se dá um pênalti como esse. Nós fomos roubados, assaltados em um momento de aflição nossa. Eu vivo disso. Hoje, quem está vivendo da arbitragem? É um cara igual o Gaciba? Então que seja profissional. Não cabia Vuaden aqui, hoje, nunca”, atacou Hélio dos Anjos, em entrevista a emissoras de rádio depois da partida.

Para Hélio dos Anjos, o pênalti marcado a favor do Timbu não existiu. Ele colocou sob suspeita a equipe de arbitragem pelo fato ser toda gaúcha, assim como a comissão técnica do adversário pernambucano - liderada por Gilmar Dal Pozzo.

A crônica esportiva nacional apontou erro da arbitragem, afirmou Hélio dos Anjos. “Eu não quero transferir a responsabilidade para ninguém, mas eu quero transmitir o que eu estou escutando em rede nacional, todas as televisões, falando do pênalti que o Vuaden deu. E olha: a comissão técnica do Náutico é toda gaúcha. Colocaram o Daronco lá (no jogo de ida, em Belém) e vocês viram o pênalti que ele não deu e hoje nós estamos aqui. Para não falarem que eu falei bobagem, eu estava lá dentro (no vestiário) e todo mundo me mostrou as imagens. Comentaristas do SporTV falando. Por que que não colocam um árbitro Fifa? Por que que não colocam um árbitro paulista em um jogo como esse?”, questionou.

Nas redes sociais, cronistas esportivos paraenses também contestaram a marcação do pênalti. No Twitter, Guilherme Guerreiro, da Rádio Clube do Pará e TV RBA,  escreveu: “Revolta e desolação na delegação bicolor. Hélio dos Anjos inconformado com a marcação do pênalti por Leandro Vuaden. Imagens confirmam erro crasso. E ele estava de frente pro lance. Quem vai pagar o prejuízo sofrido pelo Paysandu?”. Abner Luiz, da rádio Liberal, postou: “Revoltante o que esse senhor fez com o PSC. Manchou sua carreira quase no fim”.

Também a invasão do gramado, depois dos pênaltis, revoltou o técnico Hélio dos Anjos. Ele criticou a falta de segurança. A diretoria do Paysandu deve representar contra o Náutico na CBF, segundo comentários divulgados por radialistas paraenses depois da partida. Hélio dos Anjos admitiu que agrediu um torcedor durante a confusão.

Em campo, pelo segundo jogo das quartas do mata-mata da série C, Náutico e Paysandu brigaram na noite de domingo (8), no estádio dos Aflitos, em Recife, por uma vaga na Série B de 2020.

Aos 24 minutos do primeiro tempo, o Paysandu abriu o placar com Vinícius Leite, num chute com a bola desviada na defesa do Timbu. Aos 9 minutos do segundo tempo, Nicolas aumentou o placar, de letra, fazendo 2 a 0.

Mais o Timbu reagiu. Aos 19 minutos do segundo tempo, em um cruzamento, Álvaro subiu mais que os zagueiros e diminuiu o marcador. O grande lance da partida foi o polêmico pênalti marcado, nos acréscimos, aos 49 minutos, quando a bola bateu no braço de Uchôa, na frente de Leandro Vuaden. Jean Carlos converteu a cobrança e empatou a partida em 2 a 2 aos 52 minutos.

Com o término do tempo regulamentar, o jogo foi decidido nos pênaltis. Enquanto o Náutico converteu as cinco cobranças, o Paysandu, com Wellington Reis, teve a terceira cobrança defendida pelo goleiro Jefferson, finalizando o placar das penalidades em 5 a 3.

Com o resultado, o Náutico se junta ao Sampaio Corrêa (MA) e ao Confiança (SE), que conseguiram o acesso à série B no sábado (7). O Timbu aguarda o vencedor entre Juventude (RS) e Imperatriz (MA), nessa segunda-feira (9), para disputar as semifinais.

Para o Paysandu, só resta a Copa Verde para finalizar a temporada e não passar em branco com o seu torcedor em 2019. O próximo confronto será contra o Bragantino, quarta-feira (11), no Mangueirão, em Belém.

Com apoio de Cássio Kennedy.

 

COMENTÁRIOS dos leitores