Interino novamente, números de Adriano não empolgam

Técnico coral na reta final do brasileiro, Adriano já comandou equipe interinamente em outras seis oportunidades, mas não obteve bons resultados

por Rodrigo Malveira qua, 26/10/2016 - 12:51
Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo Adriano esteve a frente do time coral em três oportunidades em 2016 Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo

Pela sexta vez nos últimos nove anos, o Santa Cruz terá Adriano Teixeira no comando técnico da equipe. Somente em 2016 foram três vezes em que o ex-zagueiro esteve à frente do time tricolor. Outra oportunidade aconteceu em 2014, quando comandou a equipe por apenas uma partida e outras duas ocorreram no longínquo ano de 2007, quando acumulou funções de técnico e jogador coral nas partidas finais da Série B. Durante todo esse período, apenas uma vitória conquistada, neste ano, diante do Ceará, pelo primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Nordeste, no Arruda. Um aproveitamento de apenas 33,3% dos pontos que disputou. 

Voltando a 2007, Adriano teve sua primeira experiência como técnico e comandou o tricolor em campo e fora dele, após substituir o demitido Mauro Fernandes. Foi ele quem se escalou juntamente com o restante do time na partida diante do Criciúma, que decretou a queda Coral para a Série C do Brasileiro após a derrota por 2 a 0 no Heriberto Hulse. Após isso, ele ainda encerrou a participação coral na Série B daquele ano comandando o time diante do Coritiba no Arruda. Novamente se escalando como titular, ele viu a campanha do Santa Cruz se encerrar com uma derrota por 3 a 2 para os paranaenses.

Adriano voltou ao clube somente em 2014, já aposentado dos gramados, para ser auxiliar de Sérgio Guedes, porém, após a queda do treinador em setembro daquele ano, precisou colocar o time em campo contra o Icasa, em partida no Arruda. O placar do duelo terminou em 1 a 1. Em seguida voltou ao cargo de auxiliar depois da contratação de Oliveira Canindé, permanecendo assim até agora.

A volta à área técnica Coral aconteceu no período entre a demissão de Marcelo Martelotte e contratação de Milton Mendes. O ex-zagueiro esteve a frente do tricolor em um empate em 0 a 0 com o América, pelo Campeonato Pernambucano, na Ilha do Retiro. Depois, já sob olhares do recém contratado Milton Mendes, que via o jogo dos camarotes do Arruda, conquistou sua única vitória como técnico do Santa Cruz, um 2 a 1 sobre o Ceará. Na Série A também esteve presente na área técnica, novamente intermediando a transição de técnicos com a saída de Milton e chegada de Doriva, conseguiu um empate em 2 a 2 com o Vitória, no Barradão.

Retornando agora ao comando da equipe, para uma missão bem maior, ficar a frente nas últimas seis partidas do tricolor na Série A, o técnico acredita que sua principal missão será dar maior confiança aos atletas para encerrar bem a participação na competição. “A motivação é importante, dar essa confiança. É isso que procuramos passar para eles no dia a dia. Um jogador motivado é totalmente diferente do desmotivado, que já entregou tudo. Temos um jogo importante com o Internacional, que está precisando de resultado e a gente também precisa para dar um respaldo para todo mundo. Fomos uma equipe vencedora no primeiro semestre, todos lutaram e conseguiram os objetivos e vamos seguir nessa linha. A gente tem que levantar a cabeça e acabar a competição com honra”, declarou o técnico interino do Santa Cruz em coletiva.

LeiaJá também

--> Interino evita mirar continuidade no Santa Cruz

--> Para Derley, deixar lanterna serve como motivação no Santa

COMENTÁRIOS dos leitores