Categoria de base é o trunfo de Eduardo Baptista no Sport

Treinador rubro-negro enxerga a base como fuga para contratações caras

por Clauber Santana sab, 15/11/2014 - 17:00
Fernando da Hora/LeiaJáImagens/Arquivo 'É um trabalho que está sendo feito muito bem', disse o treinador Fernando da Hora/LeiaJáImagens/Arquivo

Um trabalho iniciado antes mesmo da efetivação de Eduardo Baptista no comando do Sport, ganhou corpo durante a temporada. Em 2014, passaram pelo time do Leão, dez jogadores das divisões de base rubro-negra. A maioria deles teve oportunidade com o atual treinador, que está sempre atento às equipes sub-17 e sub-20, no CT José de Andrade Médicis. Além do mais, é uma forma de compor o elenco com atletas mais baratos e reduzir a folha salarial.

“É um trabalho que está sendo feito muito bem. Tenho olhado para a base sempre. Toda semana estou junto e faço um treinamento contra o time das divisões de base. Faço uma observação que acho importante. No futebol moderno, se você não tem o poderio financeiro dos outros e não olhar para a base, terá de buscar jogadores fora. E é caro”, avaliou Eduardo Baptista.

A lista de atletas da base que foram utilizados na temporada tem Saulo, Oswaldo, Renê, Neto Alagoano, Ronaldo, Everton Felipe, Érico Júnior, Sandrinho, Naldinho e Joelinton. Alguns tiveram poucas oportunidades, outros ganharam a titularidade absoluta, como Renê. E ainda teve casos como Ronaldo, Érico Júnior e Joelinton, com algumas chances, mas sempre figurando no elenco.

Porém, o técnico Eduardo Baptista ressaltou que é preciso ter qualidade na base para utilizá-los. “Se a base me der bons atletas, é dali que vou tentar buscar. Lógico que não pode ser a solução, tem de ser um complemento. Joelinton é um bom nome, que tem de trilhar um caminho longo. Não conquistou nada e precisa se firmar. Renê já adquiriu uma bagagem e Ronaldo está quase conseguindo”, disse o treinador.

“No futebol da Série A e no Sport, que não se consegue essas contratações, a base é uma saída e estamos apostando nela. Se não tiver qualidade, não tem como trazer. Mas tem a qualidade e estamos tentando aproveitar”, completou Eduardo Baptista.

COMENTÁRIOS dos leitores