Barbie é um filme ácido, debochado e necessário

Produção estrelada por Margot Robbie chega aos cinemas nesta quinta-feira

Barbie é um filme ácido, debochado e necessário

“Será que vai prestar?”. “Isso vai flopar [fracassar]”. Essas foram algumas das inúmeras reações de internautas quando o primeiro teaser de Barbie foi divulgado no ano passado. Nesta quinta-feira (20), o filme de Greta Gerwig chega aos cinemas por meio de uma visão totalmente desconstruída em cima daquela boneca cheia de frufru e estilo, conhecida por ter feito muita criança se encantar por sua estética.

Interpretada pela atriz Margot Robbie, a icônica Barbie vive uma narrativa que vai além de sua meiguice. Quando passa a questionar o papel da morte na vida das pessoas, a loira entra em um conflito interno para tentar amenizar algumas situações que pairam o ambiente cor-de-rosa da Barbieland.

Decidida a solucionar pequenos problemas, ela embarca ao lado de Ken (Ryan Gosling) para o Mundo Real no intuito de buscar respostas que tanto deseja. Assim que chega em um universo totalmente diferente do seu, Barbie passa a entender que a vida perfeita não existe.

Lutando para ser ouvida, a protagonista de Margot começa a perceber que tudo ao seu redor tem elementos que precisam ser rebatidos. É a partir desse ponto de questionamentos da personagem que uma onda de reflexão transita até o final do longa-metragem.

Com pitadas leves de humor, a história de Barbie levanta discussões sobre masculinidade tóxica, feminismo, assédio, crises existenciais, entre outros temas, sempre com interpretações intensas e diálogos certeiros. O espectador que for ao cinema vai ver uma Margot Robbie tomada pela entrega do projeto, assim como Ryan Gosling no papel do egocêntrico e mimado Ken.

O live-action de Barbie foi feito para gente grande, que está à procura de entender seus medos e colocar em prática seus posicionamentos com firmeza. Barbie é, sem sombra de dúvida, um dos melhores filmes de 2023. Ele é ácido, debochado e extremamente necessário. Os prêmios que estiverem em seu caminho serão mais que merecidos. Greta Gerwig só fez reforçar que a mulher pode – e deve – ocupar qualquer espaço na sociedade.

Assista ao trailer de Barbie: