Thiago Gagliasso sobre racismo com Titi e Bless: dói aqui

Thiago desejou força ao irmão, Bruno Gagliasso, e toda sua família

Thiago Gagliasso sobre racismo com Titi e Bless: dói aqui

A situação de racismo envolvendo os filhos de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso segue repercutindo. Dessa vez, Thiago Gagliasso, tio de Titi e Bless, usou as suas redes sociais para falar sobre a situação que aconteceu em uma praia de Portugal.

No Feed do seu Instagram, ele gravou um vídeo e se solidarizou com o irmão e a cunhada.

“Fala, galera. Muitas pessoas têm me enviado o vídeo lamentável do episódio de racismo envolvendo os meus sobrinhos. Estou passando aqui para me solidarizar com meu irmão, dar muita força para a família, independente de qualquer coisa, de política ideológica, a gente é irmão, somos uma família e pode ter certeza que também dói aqui dentro. Eu tive há pouco tempo com esses moleques, tanto a Titi quanto o Bless, duas crianças maravilhosas, que pelo menos a gente consegue manter distantes dessa briga, desse momento conturbado que a gente vem passando. Papai do céu lá de cima sabe das coisas”, disse.

Em seguida, Thiago elogiou a atitude de sua cunhada: “Independente de qualquer coisa, estou passando aqui para me solidarizar de coração mesmo e dar toda a força do mundo. Quero parabenizar a minha cunhada pela atitude que ela teve. Eu, certamente, teria feito muito pior porque eu não imagino a raiva e o ódio que deve ter passado no coração dela. É isso. Independente de qualquer questão política ideológica, eu sei o que aconteceu e dou toda força do mundo ao meu irmão, a minha cunhada e a minha família porque eu sei o quanto estão sofrendo”.

E finalizou: “Tô passando aqui para fazer esse desabafo com vocês porque eu sei que muita gente comenta e espera de mim uma resposta. Minha resposta é muita força pra eles. Que Deus ilumine e que isso seja superado o mais rápido possível e um basta pelo amor de Deus”.

Repercussão do caso no Encontro

Na manhã desta segunda-feira (1º), o programa Encontro recebeu Astrid Fontenelle e falou sobre o assunto. Mãe de Gabriel de 14 anos de idade, ela relembrou da vez em que foi chamada de louca após lidar com a situação.

“O racismo é tão maléfico, da última vez fui taxada de mimizenta, está dando showzinho porque é famosa, coisa da sua cabeça, está maluca. Isso tudo ouvi, cara a cara. Tive uma reação parecida com a da Giovanna, parti pra cima. Adoraria ser uma líder pacifista, mas o racismo me impede, é o que me faz sair do sério, me desequilibra completamente porque é inaceitável. Agiria como a Giovanna e gostaria de ter um companheiro que reagisse como o Bruno porque eles fizeram a dupla perfeita: a Giovanna foi a leoa e Bruno o racional chamando a polícia. Se Giovanna fosse uma mulher preta, no mínimo ela seria presa junto”, disse.

Astrid também emocionou o público ao revelar que o filho escreveu uma carta para Titi e Bless.

“Ele tenta falar pra eles que não é com eles, é com todos, que isso vai acontecer outras vezes, que as pessoas precisam saber o que acontece dentro da cabeça de uma criança. Que a cor da pele não define nada, além de sua beleza”, contou.

Quem também falou sobre o assunto foi o co-apresentador Manoel Soares: “A luta racial não é dos negros, não é nossa, é de toda a sociedade. É complicado quando você é obrigado ao seu filho a fazer o cálculo do racismo, a ensinar ao meu filho como ele deve reagir se for abordado pela polícia, se for perseguido no shopping. Dizendo pra eles que se eles forem vítimas para não reagir. A sua indignação vai ser lida pelo contexto como violência. O corpo negro é um objeto de presunção de culpa”.