'Lightyear' é proibido em 14 países por beijo lésbico

Nações da Ásia e do Oriente Médio se recusaram a exibir o filme, sobre o personagem de "Toy Story" e produzido pela Pixar, empresa da família Disney

qua, 15/06/2022 - 07:17
Alberto E. Rodriguez Animação da Disney teve rejeição de países mulçumanos Alberto E. Rodriguez

O filme de animação mais recente da Disney, "Lightyear", no qual duas pessoas do mesmo sexo aparecem se beijando, foi proibido em mais de uma dúzia de países muçulmanos, informou uma fonte ligada à empresa nesta terça-feira.

Nações da Ásia e do Oriente Médio se recusaram a exibir o filme, sobre o personagem de "Toy Story" e produzido pela Pixar, empresa da família Disney que tenta navegar em meio a diferentes reações públicas e políticas envolvendo o tema LGBTQ.

Reguladores nos Emirados Árabes anunciaram no fim de semana que o banimento do filme por "violação dos padrões de conteúdo dos meios de comunicação no país". Já a Indonésia, maior país de maioria muçulmana, explicou que não proibiu o filme, "mas sugere que o seu responsável pense no público indonésio, onde uma cena de beijo LGBT continua sendo um conteúdo sensível".

Rommy Fibri Hardiyanto, chefe do departamento de censura da Indonésia, disse à AFP que a Disney não ofereceu uma versão editada do filme.

Tudo indica que a Disney se recusou a editar o filme e ofereceu a versão original para todos os mercados. Consequentemente, 14 países e territórios nos quais a empresa queria exibir "Lightyear" não permitiram a estreia do filme.

A cena polêmica, que mostra a melhor amiga do personagem "Buzz Lightyear", "Alisha Hawthorne", beijando sua mulher, também causou controvérsia nos Estados Unidos, onde foi originalmente removida do filme. A Pixar e a Disney voltaram atrás após a pressão de funcionários, que denunciaram a falta de comprometimento das empresas com a defesa dos direitos da população LGBTQ.

COMENTÁRIOS dos leitores