Hoje é o Dia do Frevo! Relembre 12 clássicos do gênero

Canção, de rua, de bloco, cantando, instrumental e até baiano: são muitas as expressões do ritmo que ferve a multidão no Carnaval

por Thayná Aguiar qui, 14/09/2017 - 13:30

No dia 14 de setembro é comemorado no Brasil o Dia Nacional do Frevo. Segundo informações da Agência Senado, o dia foi escolhido em homenagem à data do nascimento do jornalista Osvaldo da Silva Almeida, apontado como um dos criadores da palavra "frevo". Em 2012, o som contagiante foi declarado como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, pela Organização das Nações Unidas.

--> O passo do frevo de volta ao lugar onde transborda: a rua

Faltando menos de 150 dias para o Carnaval, o LeiaJá aproveitou a data comemorativa e a contagem regressiva, e adiantou a lista de músicas que tem sido postada toda sexta para poder listar os frevos que todo mundo conhece e não podem faltar durante o período carnavalesco. Confira:

Cabelo de fogo - Maestro Nunes 

Um dos maiores clássicos do frevo de rua, aquele tocado por uma orquestra, sem nehuma adição de voz. Algumas das melodias mais famosas do Carnaval são frevos de rua, e o tema Cabelo de Fogo é logo reconhecido pelo folião.

Vassourinhas

O 'hino' do Carnaval brasileiro, que pode ser tocada 50 vezes que 50 vezes levantará a multidão. A melodia mais conhecida entre os frevos de rua é executada no vídeo pela Orquestra da Polícia Militar de Pernambuco.

Me segura senão eu caio - Alceu Valença

"Nos quatro cantos cheguei, e todo mundo chegou. Descendo ladeira, fazendo poeira, atiçando o calor". Os versos são logo entoados pela multidão na hora do 'fervo' e são um dos mais conhecidos frevos gravados por Alceu.

 

Banho de cheiro - Elba Ramalho 

Um clássico que a8 eestourou em todo o Brasil na voz de Elba Ramalho, como parte do projeto 'Asas da América', de Carlos Fernando.

Chuva de sombrinhas - André Rio 

Outra que não pode faltar, a canção do refrão 'Ai que calor!' surgiu numa tentativa de dar ao frevo uma cara mais comercial e estourou.

Hino do Elefante - Almir Rouche

A música feita para um dos mais tradicionais blocos carnavalescos de Olinda é tão identificado com a cidade que é muitas vezes confundida com seu hino. Quem foi ao Carnaval das ladeiras do sítio histórico com certeza já cantou: 'Olinda, quero cantar a ti essa canção...'

 

Chapéu de sol aberto - Claudionor Germano

Um frevo canção de um dos gênios do estilo, Capiba, cantado pela mais simbólica voz do ritmo pernambucano, Claudionor Germano. 

Atrás do trio elétrico - Caetano Veloso

O frevo chegou com toda força Bahia, e é corresponsável pelo nascimento dos trios elétricos, influenciando diversos artistas. Diferentemente do Recife, o frevo baiano é caracterizado pelos sons das guitarras. 'Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu' é um verso cantado e decantado pelo país até hoje.

Frevo rasgado - Gilberto Gil

O baiano Gilberto Gil também já rendeu homenagem ao ritmo, como nesta bela canção.

Madeira que cupim não rói - Bloco da Saudade 

O tema, composto por Capiba, é talvez o mais conhecido dos frevos de bloco. Ao contrário dos outros tipos de frevo, este é marcado instrumentos de cordas e sopro, composta por banjos, bandolins, violões, cavaquinhos, flautas, saxofones e clarinetes.

Último regresso - Bloco da Saudade 

Um clássico do lirismo feito por um dos mais importantes compositores deste tipo de frevo, Getúlio Cavalcanti.

Batutas de São José - Bloco da Saudade

O hino de uma das mais importantes agremiações do carnalue&tm=dark&plp=bh&plw=&plh=&tb=recomendados%20para%20voc%c3%aa&tbbg=&w=600&h=530" defer>


COMENTÁRIOS dos leitores