Audiência discute obras do Túnel da Abolição

Dentre os temas abordados está o acesso ao Museu da Abolição que foi comprometido desde o início da construção

por Elaine Ventura ter, 07/04/2015 - 14:07
Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo A audiência pública será realizada no Plenarinho da Casa José Mariano, a partir das 9h Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo

Os impactos da construção do Túnel da Abolição, no museu que carrega o mesmo nome, será tema de audiência pública promovida pela Câmara dos Vereadores do Recife, na próxima quarta-feira (8). 

A proposta da vereadora Isabella de Roldão promete debater os transtornos ocasionados pelas obras no equipamento cultural e no trânsito, nas proximidades da Rua Real da Torre. A finalização do túnel foi adiada algumas vezes. Em entrevista concedida ao Portal LeiaJá, no mês de fevereiro, a Secretária das Cidades informou que a liberação do tráfego no local estava prevista para o mês de março. Mas a conclusão do túnel se daria apenas em maio. 

De acordo com o gerente de projetos especiais da secretaria, Gustavo Gurgel, o gestor da pasta está ciente dos impactos negativos da obra no museu e já estaria viabilizando a construção. No entanto, as obras acordadas entre a direção do equipamento cultural e a Secretaria ainda não foram realizadas.

Segundo a diretora substituta do Museu da Abolição, Telma Maia, na primeira quinzena de março o secretário executivo de mobilidade esteve no local para avaliar as solicitações. Mas para viabilizar as obras seria necessária a autorização prévia do IPHAN.  Telma ressaltou que as demais solicitações, como construção da nova guarita e reforma do anexo demandará um pouco mais de tempo, pois exige que seja realizada uma licitação para o andamento nas obras. 

“Eles irão aproveitar o pessoal para dar andamento à construção do muro do portão de acesso, mas estão precisando da autorização do IPHAN, pois se trata de um patrimônio tombado”, afirmou Telma Maia.  A gestora ainda adiantou que além da abertura do novo portão outra obra é tida como urgente, pois durante as manobras de caminhões grades os portões do museu também foram danificados. Mas para que todos os reparos sejam realizados é necessária a autorização oficial do Iphan, que deve ser entregue ainda esta semana. 

A audiência pública será realizada no Plenarinho da Casa José Mariano, a partir das 9h. Dentre os convidados a compor a mesa de discussão estão o secretário das cidades, André de Paula, o secretário da mobilidade da cidade do Recife, João Braga, a diretora do museu da Abolição, Elisabete Arruda, o superintendente do IPHAN em Pernambuco, Frederico Neves, além do representante dos Direitos URBANOS do Recife, Lucas Alves.

COMENTÁRIOS dos leitores