• Tweet
  • Um mar brilhante e azul encerra VII Janela de Cinema

    Festival acabou neste domingo (2), com público recorde

    por Carlos Silvio seg, 03/11/2014 - 01:32
    Victor Jucá/Divulgação Público lotou cinema São Luiz para assistir a 'Sangue Azul' Victor Jucá/Divulgação

    O Festival Janela Internacional de Cinema acabou neste domingo (2), no Cinema São Luiz, com a exibição do longa Sangue Azul, de Lírio Ferreira. O longa levou o prêmio de melhor filme no último Festival do Rio. Foram 10 dias de programação, com longas metragens, curtas, clássicos do cinema, oficinas e atividades especiais. Em 2014 o evento teve público recorde, com cerca de 18 mil participantes. "Eu sinto que o Janela se torna mais forte a cada ano. Dá pra sentir um clima de empolgação maior", comentou Kleber Mendonça Filho, criador do festival.

    Um dos convidados desta edição foi o fotógrafo brasileiro Affonso Beato, que ministrou uma oficina e também uma master class. Conceituado internacionalmente, Beato já colaborou com Glauber Rocha e Pedro Almodóvar. "O cinema de Pernambuco é excepcional.", afirmou o realizador. Ainda segundo o fotógrafo, o mais importante de tudo é a promoção de encontros que o festival proporciona. "Um movimento não nasce apenas da produção de filmes, mas de encontros. O cinema novo nasceu assim, de mostras, encontros, cafezinhos e chopps. O cinema é uma arte coletiva", declarou.

    Sangue Azul, filme que fechou a programação do Janela, traz a história de homem canhão Zolah, que volta a sua ilha natal depois de muitos anos e encontra um antigo amor e problemas familiares relegados ao passado. O filme foi gravado em Fernando de Noronha e as belezas da ilha sobressaem na tela, como a água pura e o som da vida natural do local. "Essa é a primeira exibição do filme em Pernambuco e fico feliz que aconteça num evento que sempre quis participar", comentou o cineasta, na frente de um São Luiz lotado. 

    Além de cineastas, o festival também recebeu um público interessado por novas experiências cinematográficas. Juliana Gleymi, estudante de Direito, veio quase todos os dias ao Janela, que frequenta desde 2013. "Eu gosto do clima de festival e do acesso a filmes que são difíceis de ficarem em cartaz aqui ou filmes pernambucanos recentes", afirmou a estudante. Entre os filmes que destaca nesta edição do evento, ficam História da Eternidade (Camilo Cavalcanti), Permanência (Leonardo Lacca) e Sem Coração (Nara Normande e Tião).

    Já para o estudante de cinema Lucas Patrese, a oportunidade de conferir filmes na tela grande foi o diferencial. "Ver o filme em um cinema como o São Luiz toca de uma maneira diferente", declarou. Para o estudante, o principal momento desta edição foi a exibição de 'Paris, Texas' (Win Winders).

    COMENTÁRIOS dos leitores