Janguiê Diniz

Janguiê Diniz

O mundo em discussão

Perfil:   Mestre e Doutor em Direito, Fundador e Presidente do Conselho de Administração do Grupo Ser Educacional, Presidente do Instituto Exito de Empreendedorismo

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

O bug das redes

Janguiê Diniz - Fundador e Presidente do Conselho de Administração do Grupo Ser Educacional - Presidente do Instituto Êxito de Empreendedorismo

seg, 18/10/2021 - 09:25

O dia 5 de outubro de 2021 deve ficar, de certa forma, marcado na história recente. Por pouco mais de seis horas, as principais redes sociais existentes – Facebook, WhatsApp e Instagram – ficaram fora do ar, causando verdadeiro alvoroço entre os usuários. Para além das “crises de abstinência” e dos memes, o acontecimento também teve grandes impactos econômicos. Isso nos leva a pensar sobre como estabelecemos relações, pessoais e comerciais, e refletir sobre planejamento.

Vamos a alguns números interessantes sobre a instabilidade do Facebook. As ações da empresa, que é dona também do WhatsApp e do Instagram, tiveram uma desvalorização de quase 5% durante o período na Nasdaq, bolsa de valores de Nova York. Com a queda, o cofundador e principal acionista da marca, Mark Zuckerberg, viu sua fortuna encolher em US$ 6 bilhões em apenas um dia. Imaginemos quanto maior será o prejuízo causado se somarmos todos os negócios que não foram fechados por conta dessa instabilidade nos serviços. Hoje, muitas empresas utilizam as redes sociais como canais de atendimento e vendas – diversas delas, inclusive, não conseguiram sequer funcionar. Uma dependência perigosa.

Toda a situação com as redes sociais traz à tona a questão do planejamento. Um empreendimento bem planejado e concebido não deve ficar dependente, por exemplo, apenas de uma rede social para funcionar, comunicar-se com o público ou realizar vendas. Claro que pequenos negócios utilizam essas ferramentas por serem práticas e terem um bom alcance. No entanto, esquecem de ter outras opções. Lembre-se: qualquer espaço em rede social é “alugado”. Espaços próprios são sites, por exemplo, hospedados em servidores independentes. É preciso pensar sempre nas alternativas.

Ninguém tinha problema em viver, se comunicar e vender antes do advento das redes sociais. Depois delas, no entanto, criou-se uma dependência muito grande, e parece que profissionais e empresas têm se esquecido de que existem outros caminhos. Saber lidar com as opções e ter sempre saídas estratégicas é importante para que não se estabeleça uma relação de vínculo quase indissolúvel, como acontece com muitos. Quando isso acontece, como foi o caso, um bug de rede social pode trazer grandes prejuízos. Há que evitá-los.

COMENTÁRIOS dos leitores