Aldo Vilela

Aldo Vilela

Jornalista

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

Brasil, a casa de mãe Joana

Aldo Vilelaqui, 22/02/2018 - 11:26

Cada dia que passa chegamos a triste conclusão que neste país nada pode estar tão ruim que não possa piorar, sim é esse o país que estamos vivendo, sem a menor perspectiva, neste cenário todo eis que algumas figuras nefastas da política tomam conta de todo espaço, por exemplo o senador Romero Jucá (PMDB-RR), presidente do PMDB, anunciou nesta quarta-feira a distribuição dos recursos do fundo eleitoral aos deputados federais e senadores do partido que irão disputar a reeleição neste ano. A divisão foi decidida numa reunião da bancada de legenda no Congresso — que reconduziu Juca à presidência da sigla. No encontro, os integrantes do partido definiram que cada deputado receberá R$ 1,5 milhão, enquanto os senadores irão ganhar R$ 2 milhões. O senador ressaltou que estão nesse grupo apenas os parlamentares que já têm mandato, e não qualquer candidato. Atualmente, o PMDB tem 59 deputados e 14 senadores cujos mandatos terminam neste ano (outros seis senadores tem mandato garantido até 2022). Com todo respeito caro leitor, este país é mesmo uma ZONA.

Armando aprova intervenção, mas diz que taxa de homicídios em Pernambuco é pior

Em entrevista ao meu programa de rádio na CBN RECIFE, o senador Armando Monteiro (PTB-PE) classificou como “gravíssima” a situação da segurança pública em Pernambuco ao concordar, em discurso no plenário, na noite desta quarta-feira (21), com a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro.

A fala do senador

“Temos em Pernambuco números de guerra”, assinalou, ao informar que a taxa de homicídios recorde no estado, no ano passado, de 5.427 assassinatos, é superior à taxa por 100 mil habitantes verificada no Rio.

Críticas a Paulo Câmara

“A violência em Pernambuco é uma emergência social que alcança todas as regiões do estado”, enfatizou, destacando que o governo Paulo Câmara produziu “um grave retrocesso” nas estatísticas locais de homicídios. “O caso de Pernambuco se enquadra no quadro de fragilização da autoridade estadual e na incapacidade de se garantir a continuidade de políticas de segurança de êxito, como o Pacto pela Vida”, acrescentou.

Justificativas de Armando

Segundo Armando, a intervenção das Forças Armadas na segurança pública do Rio era inevitável. Advertiu, porém, que a medida envolve muitos riscos, como as fragilidades estruturais da área de segurança, traduzidas na grande deficiência do patrulhamento ostensivo – apenas 40% do efetivo da PM carioca está disponível para o policiamento, mencionou- e no controle do crime organizado sobre extensa e populosa área urbana.

Silvio cobra plano efetivo de prevenção de enchentes na Mata Sul

O deputado Silvio Costa Filho (PRB), líder da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco, cobrou, nesta quarta-feira (21), no plenário da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), a conclusão das ações para evitar novas tragédias na Zona da Mata Sul, prometidas após as enchentes de 2010 e renovadas, pelo governador Paulo Câmara, após as chuvas de 2017.

Críticas

Para o líder da Oposição na Alepe, as ações do Governo do Estado não podem se limitar à assistência às vítimas, que é importante, mas não evita novas tragédias. “Depois das chuvas de maio do ano passado, o governador instalou gabinete de crise, reuniu deputados estaduais, deputados federais, fez foto no Palácio, andou de helicóptero, prometeu destravar as barragens, mas nada avançou”, destacou o parlamentar.

Sem dar trégua ao governo de PE

De acordo com o deputado, as agências de clima estão prevendo mais um inverno rigoroso este ano e as últimas chuvas na região, que provocou inundações em Barreiros, são uma prova de que existe risco de novas enchentes.

Abastecimento também foi usado pela oposição

Segundo notícias divulgadas no ano passado, as quatro barragens do sistema de contenção de enchentes precisariam de R$ 383 milhões para serem concluídas. A mais avançadas delas, Panelas, em Cupira, que teve 50% das obras realizadas, precisa de R$ 62 milhões para ser finalizada. “Só com o que gastou no ano passado com a Arena Pernambuco, R$ 29,4 milhões, e com publicidade, R$ 48,9 milhões, daria para ter concluído essa obra”, comparou.

Cobranças

Silvio cobra do Governo do Estado o detalhamento da situação atual das barragens e a apresentação de um plano efetivo de prevenção de novas enchentes, a exemplo das ocorridas em 2010 e 2017. “Não dá para ficar com ações paliativas.

Críticas

A população precisa de um plano objetivo de prevenção de enchentes e não da estratégia da terceirização da culpa, como costuma fazer o governo do PSB para encobrir sua paralisia responsabilizando o Governo Federal”, cobrou o deputado, acrescentando que vai solicitar a realização de uma audiência pública na Alepe para que o governo do Estado apresente um plano efetivo de prevenção e o que está sendo feito para evitar novas tragédias.

Minha Casa, Minha Vida

O prefeito de Gravatá, Joaquim Neto (PSDB-PE), recebe nesta quinta-feira (22) o deputado federal e presidente do partido, Bruno Araújo, para o ato de início das obras do primeiro empreendimento popular do Minha Casa, Minha Vida na cidade. O evento está previsto para às 16 horas na avenida Riacho do Mel, após o Caic. Bruno já está de olho nas eleições deste ano mesmo enrolado na lava jato quer ser deputado de novo.

Casas

O contrato de construção das 196 casas foi assinado pelo prefeito Joaquim Neto com a Caixa Econômica Federal no último dia 9. As unidades habitacionais foram asseguradas ainda na gestão de Bruno Araújo, quando o tucano esteve no comando do Ministério das Cidades até novembro do ano passado.

Dinheiro

Serão investidos cerca de R$ 14 milhões no conjunto habitacional completo que prevê, ainda, posto de Saúde e área de lazer com praça e parque. As casas variam entre dois e três quartos, distribuídos de acordo com as necessidades das famílias com renda de até R$ 1.800,00. Algumas unidades virão adaptadas para portadores de necessidades especiais. 

Greve

A batalha pela manutenção de benefícios pode acabar deflagrando uma greve no Judiciário. Cerca de 100 magistrados federais iniciaram movimento para convencer colegas a iniciar uma paralisação.

Vai parar?

A diretoria da Associação dos Juízes Federais foi acionada e agora avalia se convoca ou não assembleia para tratar do tema. A última vez que classe entrou em greve foi em 1999. Na ocasião, reivindicava reajuste.

O trator chamado Jucá

Reconduzido à presidência do MDB, o senador Romero Jucá (RR) disse, nesta tarde, que o partido vai trabalhar para ter candidato próprio à Presidência da República e que o presidente Michel Temer é sempre um nome, como outros, para a função.

Bajulador oficial do planalto

"O presidente Michel Temer é uma opção do MDB para ser candidato a presidente da República, se ele assim o entender. O partido defende candidatura própria, nós temos várias opções e vamos trabalhar no sentido de termos candidatura própria", declarou Jucá após reunião da Executiva da sigla.

Reforço

Jucá disse que o tempo vai dizer se Temer será candidato. "O presidente vai definir no momento apropriado se ele poderá ser ou não candidato", afirmou.

Fala com pompa de rei

O emedebista destacou como possível candidato do bloco governista o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, e o presidente da Fiesp, Paulo Skaf. "Nós temos muitos nomes que podem ser candidatos a presidente. Nós estamos discutindo qual é o nome mais viável, mais factível, que possa ganhar as eleições", disse. Mais cedo, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), afirmou que o presidente Michel Temer é "elegível" e tem todas as condições de disputar reeleição nas eleições deste ano.

COMENTÁRIOS dos leitores