Magno Martins

Magno Martins

Política Diária

Perfil:Graduado em Jornalismo pela Unicap e com pós-graduação em Ciências Políticas, possui 30 anos de carreira e já atuou em veículos como O Globo, Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Diário de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Foi secretário de Imprensa de Pernambuco e presidiu o comitê de Imprensa da Câmara dos Deputados. É fundador e diretor-presidente do Blog do Magno e do Programa Frente a Frente.

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

Sergipe é a capital mais violenta

Magno Martinster, 31/10/2017 - 09:29

O Brasil registrou 61.619 mortes violentas em 2016, o maior número de homicídios da história, de acordo com dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Sete pessoas foram assassinadas por hora no ano passado, aumento de 3,8% em relação a 2015. A taxa de homicídios para cada 100 mil habitantes ficou em 29,9 no País.

Os mais de 61,5 mil assassinatos cometidos em 2016 no Brasil equivalem, em números, às mortes provocadas pela explosão da bomba nuclear que dizimou a cidade de Nagasaki, no Japão, em 1945, durante a Segunda Guerra Mundial. Sergipe registrou a maior taxa de mortes violentas por 100 mil habitantes: 64, seguido de Rio Grande do Norte, com 56,9, e Alagoas, com 55,9.

Diferentemente do esperado, Recife não aparece no topo da violência. As capitais com maiores taxas de assassinatos por 100 mil habitantes são Aracaju, com 66,7, Belém, com 64, e Porto Alegre, com 64,1. De acordo com o diretor do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, os números registrados no país são, “no mínimo, obscenos”.

“A violência se espraiou para todos os estados. Não é exclusividade só de um, apesar de haver uma vítima preferencial”, afirmou Lima. Apesar disso, os governos gastaram 2,6% a menos com políticas de segurança pública em 2016: R$ 81 milhões. A maior redução foi observada nos gastos do governo federal: 10,3%.

A letalidade das polícias nos estados brasileiros aumentou 25,8% em relação a 2015: 4.224 pessoas foram mortas em decorrência de intervenções de policiais civis e militares. Quase a totalidade das vítimas é homem (99,3%), jovem (81,8%), tem entre 12 e 29 anos e é negra (76,2%).

O número de policiais mortos também aumentou 17,5% em relação a 2015: 437 policiais civis e militares foram vítimas de homicídio em 2016. A maioria das vítimas também é negra: 56%, contra 43% de brancos; além disso, em 32,7% dos casos elas têm de 40 a 49 anos. Os latrocínios --roubo seguido de morte-- totalizaram 2.703 ocorrências em 2016, um crescimento de 50% em comparação com 2010. As maiores taxas estão em Goiás, com 2,8 mortes por 100 mil habitantes, e em dois Estados da região Norte: Pará e Amapá.

PIAUÍ LIDERA ESTUPROS - O número de estupros cresceu 3,5% no país e chegou a 49.497 ocorrências em 2016. No ano passado, uma mulher foi assassinada a cada duas horas no Brasil, totalizando 4.657 mortes. Mas apenas 533 casos foram classificados como feminicídio, mesmo após lei de 2015 obrigar tal registro para as mortes de mulheres dentro de suas casas, com violência doméstica e por motivação de gênero. “É a primeira vez que conseguimos computar os dados de mortes por sexo. Piauí registrou 58% das mortes de mulheres como feminicídio, que é a estatística esperada pelos especialistas”, diz Samira Bueno, diretora-executiva do Fórum.

Desaprovação em queda - A onda de rechaço aos políticos começa a dar sinais de refluxo, depois de atingir o ápice nos últimos meses. Entre setembro e outubro, as taxas de desaprovação de quase todos os prováveis candidatos a presidente caíram ou oscilaram para baixo, segundo o Barômetro Político, pesquisa mensal realizada pelo instituto Ipsos. Em alguns casos, a redução da desaprovação foi significativa, como nas taxas de Geraldo Alckmin (PSDB), na foto, e Marina Silva (Rede). Em outros, a diminuição se deu dentro da margem de erro. A desaprovação de todos continua alta, mas retrocedeu para níveis detectados em levantamentos anteriores.

Jogou na campanha– Parte do dinheiro desviado do município de Buenos Aires, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, foi usada em campanhas eleitorais do ex-prefeito Gilsan de Almeida Alencar (PSDB), preso na 'Operação samidarish', realizada pela Polícia Civil. A declaração é do delegado Izaias Novaes. A operação investiga o desvio de R$ 12 milhões em verbas públicas. Além do ex-prefeito, o vereador Flávio José Barbosa de Melo, conhecido como Flávio de Deda, (PSDB), foi preso pela Polícia Civil.

Balanço em São Lourenço- Ao completar o primeiro mês à frente dos destinos de São Lourenço da Mata, consequência do afastamento do prefeito Bruno Pereira (PTB), o prefeito em exercício Gabriel Neto (sem partido) disse que sua maior preocupação com a transparência. ”Transparência em todas as ações, para que a população se inteire de todas as medidas que estamos tomando, centrando e priorizando segurança, saúde, educação, assistência social e a qualidade dos serviços públicos. “Iniciamos ainda na primeira semana uma série de serviços, como a limpeza dos canais, capinação e recolhimento de entulhos. Fizemos um contrato emergencial com uma empresa responsável pela coleta de lixo da cidade, assim como a manutenção de inúmeros pontos de iluminação pública, não só do Centro, como dos distritos”, destacou.

CURTAS

SALGUEIRO– Deputado federal licenciado, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho (sem partido), esteve em Salgueiro, onde entregou ao prefeito Clebel Cordeiro (PMDB) um conjunto de 845 metros de tubulação. O equipamento será utilizado para melhorar o esgotamento sanitário do município. A obra, orçada em pouco mais de R$ 40 mil, foi viabilizada junto à Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) como emenda parlamentar apresentada por ele.

DÍVIDAS– A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do Recife criou uma plataforma digital para facilitar a negociação de dívidas. O ‘Acordo CDL’ permite que o consumidor tenha condições de recuperar o crédito com empresas privadas, de graça, pela internet. O serviço foi implantado a partir de uma parceria da CDL com o Acordo Certo, um serviço de negociação de dívidas online. Para acessar a plataforma, é preciso entrar no site da Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife. Em seguida, o cliente deve clicar no ícone do serviço, que está do lado direito da tela do computador ou do celular.

Perguntar não ofende: Quem vai ganhar a queda de braço para ter o controle do PMDB no Estado: Jarbas ou Fernando Coelho?

COMENTÁRIOS dos leitores