Magno Martins

Magno Martins

Política Diária

Perfil:Graduado em Jornalismo pela Unicap e com pós-graduação em Ciências Políticas, possui 30 anos de carreira e já atuou em veículos como O Globo, Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Diário de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Foi secretário de Imprensa de Pernambuco e presidiu o comitê de Imprensa da Câmara dos Deputados. É fundador e diretor-presidente do Blog do Magno e do Programa Frente a Frente.

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

Temer é um animal político

por sab, 11/03/2017 - 10:44

Em discurso, ontem, na Paraíba, o presidente Michel Temer (PMDB) afirmou, em tom categórico, que não deseja nem quer a paternidade da Transposição do Rio São Francisco, obra que encontrou praticamente paralisada e que está tocando com a mais absoluta prioridade. Apropriação de obra pega mal para quem quer que seja, mas como Temer bem disse o projeto não pertence a ninguém, mas ao povo brasileiro, porque saiu do papel graças aos impostos pagos por todos os brasileiros.

Temer quis passar muita modéstia. Na verdade, como comentei ontem neste espaço, a Transposição tem o DNA de Lula, mas Dilma, sua sucessora, paralisou suas obras. Nunca teve compromisso com o Nordeste nem com nada neste País. Foi a pior governante dos últimos anos, uma barata tonta, sem interlocução política, sem tato político, sem rumo. A pior herança deixada por Lula ao povo brasileiro.

Na mesma fala, Temer pediu o apoio e o empenho da bancada nordestina no Congresso para operar as reformas priorizadas no  seu Governo, especialmente a da Previdência. Este é o mote e a razão da sua passagem pelo Palácio do Planalto. Tirar do papel o que os seus antecessores não foram capazes passa por uma estratégia que Temer deve conduzir de forma exitosa, porque ninguém faz reformas se não tiver jogo de cintura e capacidade de articulação política.

E isso são atributos que Temer possui em demasia. Ninguém conhece o Congresso melhor do que ele. Como presidente da Câmara em três oportunidades, o peemedebista sabe como as duas Casas - Senado e Câmara - funcionam. Seu oxigênio são o bom trato, a conversa tête-à-tête e o saco para suportar as demandas intermináveis e insaciáveis dos parlamentares.

Ontem, um deputado me revelou que recebeu um telefonema do presidente na véspera de uma votação importante para o Governo. "Estava decidido a votar contra, mas ele me ligou direto, sem a interferência de secretária ou assessor, pedindo meu voto. Estou no meu quarto mandato e nunca tinha visto um presidente agir desta forma, com simplicidade e humildade", disse o mesmo parlamentar.

O depoimento deste deputado tira qualquer sombra de dúvida sobre as chances de sucesso que o Governo tende a ter nas reformas em discussão no Congresso. Nos cinco anos e meio em que despachou no mesmo gabinete, Dilma nunca recebeu um do senador ou deputado em audiência protocolar. Com nariz empinado de igual magnitude, imagina se Dilma pegaria um dia um celular para falar com um deputado da sua base! Ela se achava uma deusa! Por isso, deu no que deu. O mundo da política foi feito para os animais da política. Temer é um deles.

FALTA SEGUNDO EIXO– Os debates para realizar a Transposição começaram no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As obras tiveram início em 2007. A previsão inicial era que todo o projeto fosse concluído em 2012, ao custo de R$ 4,5 bilhões. Entretanto, somente agora o primeiro eixo está sendo inaugurado, e os investimentos já passaram dos R$ 8,2 bilhões. Nos últimos dez meses, por exemplo, foram injetados mais R$ 602 milhões nas obras, segundo as informações divulgadas ontem no ato em Sertânia pelo ministro da Integração, Helder Barbalho. 

Queiroz de olho no Senado– Nos bastidores, os primeiros encontros promovidos pelo presidente estadual do PDT, Wolney Queiroz, com vistas às eleições de 2018, sinalizam para articulação da pré-candidatura do seu pai, o ex-prefeito de Caruaru, José Queiroz, ao Senado. Queiroz é aliado do governador Paulo Câmara, mas as chances de o PDT ter um nome na chapa da sua reeleição seriam mínimas, tendo em vista que uma vaga já foi prometida para Jarbas Vasconcelos, pelo PMDB, e a outra tende a ser do PSB. Restaria a Queiroz uma postulação no campo da oposição. 

No acampamento– O líder da oposição no Senado, Humberto Costa (PT), visitou, ontem, a ocupação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), no bairro do Barro, na Zona Oeste do Recife, para acompanhar de perto as negociações do grupo para a construção de casas no terreno de 10 mil metros, onde mais de 1,5 mil famílias do MTST estão acampadas.  Recentemente, integrantes do MTST foram detidos após um protesto dentro da Cehab. Um dos presos foi o advogado do grupo, Caio Moura, que havia sido atingido por bala de borracha atirada pela Polícia.

Fortaleza em colapso– Com mais de 3,5 milhões de habitantes, a Região Metropolitana de Fortaleza poderá enfrentar um colapso de abastecimento hídrico no ano em 2018, algo que não acontece desde o fim dos anos 90. Se mais um período de chuvas fracas se repetir entre fevereiro e maio, confirmando o sexto ano consecutivo de seca no Nordeste, a capital cearense ficará dependendo exclusivamente da conclusão da Transposição do São Francisco. 

Bruno sonha alto– Prefeitos que estiveram com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, ao longo desta semana em Brasília, saíram convencidos de que as articulações do tucano para 2018 não se dão em torno do Senado. “Ele quer ser mesmo candidato a governador”, disse um prefeito em reserva. Com um Ministério bombado de recursos para conveniar com prefeituras, Bruno está com a faca e o queijo nas mãos para sonhar com um projeto majoritário. 

CURTAS 

ESPERANÇA– O senador Fernando Bezerra Coelho comemorou a chegada das águas do “Velho Chico” ao município de Monteiro (PB). “É mais que a concretização de um grande projeto. É a chegada de esperança ao povo nordestino”, destacou. Bezerra foi ministro da Integração Nacional e um dos gestores do chamado Projeto de Integração do São Francisco. 

SIGILO – Advogados de dirigentes e ex-dirigentes da Odebrecht que firmaram acordos de delação premiada entraram com pedidos no Supremo Tribunal Federal (STF) para que o ministro Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato na Corte, mantenha sob sigilo os depoimentos dados em vídeo no âmbito dos acordos. Até ontem, 18 pedidos haviam sido protocolados no Supremo. São iniciativas individuais de advogados dos executivos, e não um pleito único da empresa.

Perguntar não ofende: Nordestino hostiliza quem leva água para quem tem sede no Sertão ou os protestos contra Temer são dirigidos?

COMENTÁRIOS dos leitores