Professores denunciam estrutura precária de escola em Paulista

No local, há mofo, paredes sem reboco, portas quebradas, janelas sem vidro, entre outros problemas

Professores denunciam estrutura precária de escola em Paulista

infraestrutura de escola Gelda Amorim está precária Foto: Divulgação/SINPROP

O Sindicato dos Professores Municipais de Paulista (SINPROP) realizou uma denúncia sobre a infraestrutura da escola municipal Gelda Amorim, localizada no bairro de Paratibe. Em vistoria, os docentes constataram mofo nas salas de aula, paredes com fungos e entulho acumulado no ambiente escolar. Os problemas estariam causando doenças respiratórias nos alunos e nos profissionais que trabalham na unidade.

Nas imagens divulgadas pelo SINPROP, é possível visualizar salas danificadas, sem porta, muito mofo, paredes sem reboco e janelas sem vidros. Já nos banheiros, algumas cabines não possuem portas. Na parte externa da unidade, onde era realizada uma reforma que foi interrompida por questões contratuais, há o acúmulo de entulhos e metralhas.

O que diz a Prefeitura de Paulista

Secretaria de Educação de Paulista informou que o contrato com a empresa licitada foi rescindido unilateralmente por descumprimento de cláusulas contratuais. Agora, a gestão municipal está em fase de conclusão da contratação da empresa classificada em segundo lugar na licitação para dar seguimento às obras.

“A administração municipal reconhece a importância da conclusão da obra da Escola Municipal Gelda Amorim para a comunidade escolar e lamenta profundamente que empresas descompromissadas participem de processos de licitação, contudo, estamos empenhados para  retomar os trabalhos o mais rápido possível, para que os alunos possam usufruir de um ambiente escolar moderno e seguro”, disse a gestão, em nota.