Atenção, cuidado e carinho são fundamentais para adaptação escolar das crianças

A volta às aulas se torna mais desafiadora quando se trata dos pequenos

Atenção, cuidado e carinho são fundamentais para adaptação escolar das crianças

A adaptação escolar é um momento importante pra crianças, pais e profissionais. (Foto: Freepik)

O anseio da volta às aulas é muito esperado tanto pelas crianças e pais, quanto pela equipe escolar. Para os menores, a adaptação escolar pode ser um período de desconforto e descobertas. Os que são veteranos na escola matam as saudades, conhecem novos colegas e reveem os professores, mas a adaptação é contínua. 

Esse processo de adaptação escolar é realizado com intensidade e confiança por parte dos professores, auxiliares e psicólogos, contando com a ajuda e apoio dos pais. Sugestões de acolhimento são fundamentais para que o processo de ensino seja o mais prazeroso possível.

Em meio a isso, surge uma pergunta: “o que será feito com os alunos nas primeiras semanas de aula e após esse período?” A psicopedagoga Simone Nunes dá algumas dicas de como lidar com todas as mudanças.

Segundo Nunes, estabelecer os vínculos afetivos entre alunos, professores e funcionários é importante. Ela ainda recomenda “um passeio pelo espaço escolar, permitindo que os alunos veteranos apresentem a escola para os novatos”.

Outro ponto é a flexibilização do planejamento, tornando-o mais  lúdico – com histórias, teatrinhos, atividades práticas, dança, aulas em outros espaços, música e desenhos sobre as férias –  para que os pequenos se sintam acolhidos e engajados nesse novo ciclo.

“Caso haja o choro, é importante não tirar a criança do braço dos pais, mas estabelecer a confiança”, recomenda a psicopedagoga. Outros pontos abordados pela profissional sinalizam que os responsáveis podem estar presentes em sala de aula e participar das atividades propostas.

Além disso, outra estratégia seria buscar a criança um pouco mais cedo e gradativamente voltar ao horário normal. “Dessa forma, a criança vai compreender esse trânsito de ir e vir da família, e passa a entender a rotina escolar proposta”, explica Simone Nunes.

Coordenadora pedagógica do colégio Cognição no Cabo de Santo Agostinho, litoral Sul de Pernambuco, a especialista relata uma experiência vivida no ambiente escolar.

“Aqui no colégio, os alunos foram recepcionados por personagens infantis e tiveram um lindo show musical na hora do intervalo. As professoras fizeram um círculo mágico com histórias e novidades das férias. No intervalo também foi proposto um piquenique literário com manuseio de livros, historinhas e apresentação com fantoches para educação infantil. Além do acolhimento da professora, auxiliar,  coordenação e setor de psicologia, se fizeram presentes nesse processo, participando e orientando professores e a família”, conta Simone.

Tudo o que você precisa saber está no Instagram do LeiaJá

Vivendo na pele

Entre a teoria e prática, existe um abismo. Ir para a escola pela primeira vez após um período de férias pode ser difícil não apenas para o estudante, como também para os pais. A fisioterapeuta Késia Santos é mãe de Lorena Victoria, de 5 anos, estudante do ensino infantil. Para a mulher, o recomeço não foi fácil. “Escola nova, tudo novo? Coração aflito!”, diz.

“A preparação de boas vindas do colégio acolheu tão bem, desde da chegada nos portões da escola, onde minha filha já foi recebida pela Sky da Patrulha Canina, até a sala de aula, onde a tia se abaixou para recebê-la com um beijo de bom dia e de boas-vindas. A atenção de toda a equipe e cuidado fizeram toda diferença para que ela, na primeira semana de aula, já se sentisse à vontade”, relata Késia.