Secretaria de Saúde capacita sobre tecnologia hormonal

Evento promovido pela SES-PE ocorre no dia 30 de janeiro

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco organizará uma capacitação, na próxima terça-feira (30) para profissionais da atenção primária à saúde, abordando a “Utilização da tecnologia hormonal como garantia de cuidado e acolhimento da pessoa travesti e transexual no SUS”. O evento, ocorrendo durante o Mês da Visibilidade Trans, será das 13h às 17h no auditório do Centro Universitário Estácio do Recife, na Madalena. Inscrições podem ser feitas pelo link.

O treinamento, liderado pelo médico Rodrigo Oliveira do Ambulatório Municipal de Atenção Integral à Saúde da População LGBT Patrícia Gomes, visa ampliar conhecimentos sobre hormonização, cuidado integral e acolhimento aos pacientes.

“É crucial promover a conscientização sobre as necessidades específicas das pessoas transgênero, principalmente na área da saúde. Com esse momento, enfatizamos também a importância de criar ambientes de saúde inclusivos, respeitosos, que atendam às demandas das diversas identidades. É um incentivo ao processo de formação para os profissionais da saúde. Além disso, a visibilidade trans na saúde contribui para a quebra de estigmas e preconceitos, promovendo um diálogo sobre as questões de saúde mental, hormonal e cirúrgica”, enfatiza o coordenador estadual de Atenção Integral à Saúde da População LGBT, Luiz Valério.

Profissionais de saúde em UBS’s e Unidades Básicas de Saúde Prisional em Pernambuco são o público-alvo, com a Coordenação Estadual de Atenção à Saúde à População LGBT, Diretoria de Assistência Prisional, Amotrans e Moviht-PE como parceiros. O diretor de Assistência Prisional, Bruno Ishigami, destaca que a capacitação contribui para humanizar os atendimentos à população trans.

“Ações de qualificação para profissionais de saúde direcionadas ao cuidado para pessoas trans são fundamentais para reduzir estigmas e fortalecer a atenção à saúde que respeite a subjetividade e a diversidade da população”, destaca a diretora-geral de Políticas Estratégicas da SES-PE, Alda Roberta Lemos. O diretor de Assistência Prisional, Bruno Ishigami, reforça que a capacitação contribui para a humanização dos atendimentos à população trans. “A gente entende que a população trans de forma geral é vítima de muitos preconceitos e a qualificação dos profissionais de saúde é uma forma de garantir acesso ao sistema de saúde de maneira mais humanizada. A ação é mais um olhar para a garantia de direitos, pois temos uma população trans considerável dentro e fora do sistema prisional”, ressalta.