Ano novo, carreira nova? O que ponderar para mudar de área

Consultora em carreira dá dicas para profissionais que desejam mudar de área de atuação em 2022

por Thaynara Andrade qua, 05/01/2022 - 08:24
Freepik . Freepik

Após anos de dedicação a uma profissão com investimentos financeiros em cursos e especializações, mas também muita entrega pessoal e emocional, se torna difícil finalmente decidir aventurar em uma nova área de atuação. Para as pessoas que buscam entrar nesse processo de transição de carreira com mais estabilidade e menos sofrimento, é fundamental ponderar diversos aspectos da sua vida além da simples vontade de mudar.

Muitos são os fatores que podem levar alguém a esse desejo, como, por exemplo, a descoberta de uma nova área de interesse, a busca por um trabalho mais flexível que permita mais tempo para cuidar de questões pessoais ou mesmo a insatisfação com o emprego atual. Foi o que aconteceu com Aienicla Monzato, que atualmente é redatora, mas iniciou sua vida profissional na área de química.

“Minha vida profissional começou em 2010, quando iniciei um curso técnico em química, nessa época eu tinha em mente conseguir uma profissão e um posterior emprego. Após a conclusão do curso, eu ingressei no ensino superior e cursei até o 5º período da graduação de química. Foi uma época fundamental na minha trajetória pessoal e profissional, e a ela, sou muito grata.”, esclarece Aienicla.

ainda segundo Aienicla, em entrevista ao LeiaJá, a iniciativa de mudar de carreira surgiu com a combinação da desilusão na sua área atual e o despertar de sua paixão antiga pela escrita. “A vontade de mudar de carreira sempre existiu, porque sempre adorei escrever. Ao prestar vestibular, fiquei indecisa entre as graduações de letras e química. E mesmo na área de química, sempre foi um hábito a leitura e escrita técnica. Mas a motivação também foi a falta de oportunidade: me mudei para outra cidade e não consegui emprego na minha área de formação, então entendi que podia fazer do limão uma limonada e viver novas coisas. Assim, busquei o que fazia sentido envolvendo comunicação e escrita, comecei a me profissionalizar e me lançar nesse mercado”, disse.

Segundo dados do relatório Futuro do Trabalho do Centro Brasileiro de Cursos (Cebrac), essa busca por uma repaginada na carreira já está nos planos de 53% dos brasileiros neste ano de 2022. Pretensão essa que foi bastante impulsionada pela pandemia do coronavírus, na qual, com aceleração da transformação digital, a popularização do modelo de trabalho home office e o surgimento de novas profissões, muitas pessoas passaram a repensar sua relação com trabalho, buscando uma adequação entre suas aptidões pessoais e uma melhor qualidade de vida.

Para Aienicla, a pandemia também foi determinante na sua decisão de transição profissional. Já desempregada e vislumbrando as possibilidades existentes no mercado digital, a jovem tomou a iniciativa de se aventura na produção de conteúdos textuais. “Mesmo com quase 10 anos no total, somando estudo e experiência, passei por um momento de crise e desemprego, então eu não enxergava muito prejuízo em tentar. Minha maior prioridade era fazer algo remoto, porque vivi a transição de carreira durante a pandemia e queria algo que oferecesse proteção, além do remoto fazer mais sentido por eu morar em uma cidade mais inacessível, por ser fora da capital, e limitada na minha área de interesse.”

A profissional explica que o maior preparo foi psicológico, já que ela passou quase um ano analisando sua tomada de decisão. Nesse período, a redatora buscou conhecer mais sua área de atuação, se conectando com profissionais de redação por meio do LinkedIn e pesquisando cursos, especializações e as novas habilidades que precisava adquirir para ingressar na carreira.

Segundo a consultora de carreira e especialista em recrutamento e seleção, Lorena Pedroso, esse trabalho de pesquisa e adaptação que a Aienicla realizou é essencial para a mudança de área. Lorena ainda esclareceu alguns outros pontos que os trabalhadores devem ponderar antes de decidir entrar nesse processo. Confira:

Descubra se você decidiu mudar pela motivação certa

Contratempos e insatisfações na área profissional são comuns e até mesmos naturais, por isso nem sempre as dificuldades do momento devem justificar uma mudança tão radical. Dessa forma, é preciso ponderar se esse desejo de mudança está presente por motivações realmente genuínas, é o que explica Lorena:

“Está na hora de reavaliar sua carreira se a mesma não faz mais sentido, como, por exemplo, em casos de fadiga excessiva no trabalho, ansiedade ou falta de interesse nas atividades pertinentes ao seu cargo. Outra questão é não se ver mais realizando essa função no futuro, sentir certa estagnação profissional ou mesmo encontrar uma nova aptidão que desperte uma possível nova vocação. Nesses casos, sim, é um bom momento para repensar a carreira.”

Clareza

A mudança de área deve ser feita de forma analítica para não haver prejuízos, portanto o profissional precisa buscar o autoconhecimento e se programar para ter sucesso na sua transição:

“Algumas perguntas são muito importantes, como por exemplo, porque a área X foi escolhida? Qual o motivo da minha mudança de carreira? O que despertou esse desejo? Porque eu não estou mais satisfeito com minha situação atual? Para ajudar nesse processo, aconselho a escrever uma lista com seus talentos onde você irá identificar suas habilidades, com sua paixão que trará a tona o que te move e, por fim, com o objetivo que descreverá o que você deseja na sua carreira", esclarece a consultora.

Estudar o cenário

Assim como fez a entrevistada Aienicla, é fundamental pesquisar bem essa nova área de atuação, as possibilidades e os desafios dela, bem como todos os detalhes que terão impacto no seu sucesso profissional.

“Após a concretização da escolha, é preciso estudar o cenário e entender como está esse mercado, as vagas, o salário. Também deve ser verificado quais conhecimentos teóricos e práticos essa nova fase exigirá, para que então você entenda se essa mudança é compatível com sua realidade”, afirma Lorena.

Planejamento financeiro

Um dos pontos mais importantes a ser ponderado é o planejamento financeiro, já que o profissional precisará passar pela fase de busca por um emprego e provavelmente ingressará no mercado como um iniciante. “A questão financeira é indispensável e requer muito planejamento, já que mudar de área, principalmente se não há experiência, implicará na redução salarial, sendo fundamental uma organização das finanças para não passar por muitas dificuldades”.

Evite a pressa

É preciso avaliar muitas questões antes de tomar a decisão. O ideal é que o profissional enfrente uma mudança gradual e bem planejada. “Identificar o desejo de mudar e sair distribuindo currículos e aceitando qualquer proposta só trará mais frustração à sua vida. Na maioria das vezes a transição de carreira é um processo a longo prazo, então, com certeza, ter pressa vai fazer seu processo ser ineficiente”, conclui a especialista em recrutamento Lorena Pedroso.

COMENTÁRIOS dos leitores