Redes sociais podem ser decisivas na busca por emprego

Postagens na internet podem refletir na imagem do profissional, diz especialista

por Alfredo Carvalho sex, 05/02/2021 - 16:43
Matheus Montes / LeiaJá Matheus Montes / LeiaJá

Para selecionar novos candidatos, muitos recrutadores de empresas tem analisado perfis de redes sociais, e o resultado dessa análise pode ser decisiva na contratação. Por conta disso, é preciso ter cautela com o que se posta ou compartilha na internet.

Na busca por um novo emprego, a dona de casa Elisângela Alves, 28 anos, tenta ponderar as postagens que faz na rede social, pois acredita que as empresas utilizam a internet para conhecer o candidato, sem a formalidade de uma entrevista. "Muitas pessoas se escondem atrás de seus computadores e perdem completamente a noção das coisas. É importante saber que certas atitudes e posicionamentos são extremamente prejudiciais. Piadas homofóbicas e racistas só mostram aquilo que a pessoa é", comenta.

Facebook, Instagram e Twitter são vitrines do mundo e, com essas plataformas, é possível identificar as características da pessoa, se elas condizem com a cultura de uma empresa. "Com isso, posso identificar se o mindset dessa pessoa é o que eu quero dentro da minha empresa. Isso me possibilita eliminar até o primeiro contato com esse candidato", explica a mentora de alta performance e terapeuta vibracional Marinelia Leal.

A mentora aconselha os candidatos a não exporem a intimidade nas redes sociais, evitar posturas radicais, ideias que não possuem embasamento e postagens ofensivas a outras pessoas. "O candidato precisa ter cuidado, refletir se o que ele coloca na internet hoje vai prejudicar a própria imagem no futuro", alerta Marinelia.

Por outro lado, os que buscam por um novo emprego podem utilizar as redes sociais para expor os desejos profissionais, as maneiras como ele contribui com as comunidades locais, formação, viagens de estudo e os ídolos da profissão que almeja. "É preciso se mostrar como alguém que tem capacidade, flexibilidade de aprendizado, disponibilidade para competir de uma maneira interna, e que busca sempre ser uma pessoa melhor", recomenda a mentora de alta performance.

Outra dica de Marinelia é criar um perfil profissional e manter os momentos de família em uma página pessoal, que também deve ser ponderada. "No profissional, deve conter o trabalho que ela exerce e o que ela almeja alcançar e criar em sua jornada. Com isso, ela consegue criar um networking de pessoas, que contribuem com o que ela quer profissionalmente", orienta.

Para o CEO da Global Mentoring Group, Cláudio Brito, o candidato deve usar o ambiente das redes sociais para discutir e debater assuntos da área que ele busca emprego. "Isso não exclui posts relacionados a família, mas também não pode ser algo muito pessoal. Eu diria que 70% profissional e 30% pessoal", aconselha.

COMENTÁRIOS dos leitores