PE: secretário prevê crescimento de contratações em 2021

Secretário de Trabalho, Emprego e Qualificação, Alberes Lopes revelou, em entrevista ao LeiaJá, projeções positivas para o próximo ano, apesar da pandemia

por Lara Tôrres qua, 30/12/2020 - 16:40
Aline Moura/Seteq Alberes Lopes conduz a Seteq Aline Moura/Seteq

O ano de 2020 foi muito difícil em diversos aspectos devido à pandemia de Covid-19. Entre mortes, hospitais lotados e medidas de restrição, a economia teve uma queda e a população sofreu com aumento de desemprego, informalidade, desalento e fechamento de empresas.

No momento em que se encerra o ano, o Brasil registra 14 de milhões de pessoas sem emprego em novembro, ao mesmo tempo em que uma contratação recorde, com 414.556 empregos formais no mesmo mês, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ajuda a manter o saldo de empregos positivo apesar do enorme número de desempregados. 

O LeiaJá entrevistou o secretário de Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco, Alberes Lopes, para explicar como o Estado enfrentou a crise econômica em 2020 e quais são as expectativas para a empregabilidade no ano de 2021. Confira: 

LeiaJá: Como Pernambuco atravessou a crise econômica e como estão os dados de emprego e desemprego do Estado no fim do ano?

Secretário: Dois mil e vinte foi um ano atípico por conta da pandemia, mas surpreendeu positivamente. O ano de outubro foi a melhor data dos últimos dez anos no número de contratações. No fim do ano tivemos mais contratações do que esperávamos. No início da pandemia tivemos perdas relevantes, mas no final a gente conseguiu recuperar graças ao esforço do governador Paulo Câmara que trouxe 52 novas empresas para Pernambuco. Nós mantivemos as agências do trabalho funcionando tanto para o seguro-desemprego como depois também para intermediação de mão de obra; atendemos mais de 1 milhão de pessoas por ano. 

LeiaJá: Em quais setores houve mais desemprego e mais contratações?

Secretário: O que mais perdeu foi o setor de serviços e quem empregou mais foi o setor da indústria. Serviços e o comércio foram os que mais perderam porque teve que fechar. O Governo do Estado fez um plano de convivência, mas o último a funcionar foi o setor de serviços. A indústria foi a primeira, isso também ajudou um a contratar mais e outro menos. Teve a agroindústria que não parou. 

LeiaJá: No País, há estados com saldos de empregos positivos e outros no vermelho. Como está Pernambuco neste fim de ano?

Secretário: Sim, o saldo de empregos em Pernambuco está positivo. A gente teve uma recuperação muito boa no fim do ano. Outubro, por exemplo, foi o melhor outubro dos últimos dez anos, então nós tivemos, sim, uma recuperação muito importante para o nosso Estado diante dessa pandemia, com mais de 13 mil empregos gerados em outubro. 

LeiaJá: Qual é a sua expectativa para a geração de empregos no Estado no ano de 2021?

Secretário: A gente tem expectativa bastante positiva, porque estão havendo investimentos em Pernambuco graças ao empenho do governador de buscar investimentos. Agora a gente não tem como dizer números, não tem o número de investimentos porque ainda nem começou o ano. Em 2020, apesar de tudo, a gente conseguiu atrair investimentos e vai conseguir mais em 2021. É um ano de esperança, um ano de expectativas, de novos projetos e a gente sabe que vai ser um ano ainda melhor em geração de empregos, porque com todo esse momento dessa pandemia, um momento difícil , a gente conseguiu atrair investimentos. lmagine que vai ter agora a vacina, a gente está esperançoso com isso, que novos investimentos virão para Pernambuco e vamos conseguir gerar novos empregos. 

LeiaJá: Quais setores devem se sair melhor na geração de empregos?

Secretário: O setor da indústria e o setor de prestação de serviços. Temos também o setor de logística, com a Amazon e atacadões que estão vindo aqui para Pernambuco. Fora outras empresas que vieram antes e em 2021 vão ter uma projeção maior, como por exemplo a Fiat. Várias empresas já anunciaram que em 2021 vão aumentar o investimento aqui em Pernambuco. Em Bonito, temos uma empresa que também já iniciou as construções com a geração de empregos em 2021 maior que em 2020. A Yazaki. 

O final do ano teve recuperação rápida, o início de 2021 acho que vai seguir nesse mesmo ritmo, embora seja normal que uns meses depois fique um pouco mais lento. Você pega dezembro e janeiro com a injeção do 13º salário, o mercado ainda fica aquecido, depois começa a diminuir. Só que como os investimentos estão vindo, começa a ter crescimento de novo depois. Isso acontece já de forma natural, eu falo isso pelos anos que passaram e deve se repetir em 2021. Com os investimentos, mais ou menos em abril a gente já vê uma acelerada maior que em fevereiro, é a tendência pela pandemia. 

LeiaJá também

--> Saiba os setores que mais contrataram em 2020

--> Desemprego recorde: os setores que mais demitiram em 2020

COMENTÁRIOS dos leitores