'Nossa escola está preparada', diz profissional em ato

Em protesto, alguns profissionais da educação pediram ao Governo de Pernambuco o retorno das aulas nas escolas. Outros professores, contrários ao ato, não são a favor da retomada

por Paula Brasileiro qui, 03/09/2020 - 14:33
Júlio Gomes/LeiaJáImagens/Arquivo Ato em defesa da volta às aulas em PE foi realizado nesta quinta (3), no Recife Júlio Gomes/LeiaJáImagens/Arquivo

Nesta quinta-feira (3), alguns profissionais da educação de Pernambuco realizaram o ato Encontro Pela Educação, em frente ao Palácio do Campo das Princesas, na área central do Recife. A manifestação, convocada pelo Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de Pernambuco (Sinepe-PE), levou ao governador Paulo Câmara um manifesto reforçando a importância e a necessidade do pronto retorno das aulas no Estado. Vestidos de branco e empunhando cartazes, parte da categoria, presente e em apoio ao ato, se mostrou segura para retomar as atividades.

Parados desde o início de março, por conta da pandemia do novo coronavírus, os profissionais da educação presentes no protesto garantem já haver condições de retomar as aulas de forma presencial. A coordenadora pedagógica Sandra Almeida se disse segura para retornar às salas de aula. "A nossa escola está preparada. Estamos tranquilos", disse, ao LeiaJá.

Mesma segurança demonstrou a auxiliar de educação infantil Joyce Gabriele. "A escola está preparada, com todos os protocolos de segurança", disse ela, reforçando a falta que o contato com alunos está fazendo. "Muita saudade", completou.

Já a coordenadora pedagóca Kiria Souza frisou o motivo da manifestação desta quinta-feira. Para ela, é importante que as famílias possam decidir pelo retorno de seus filhos ao ambiente escolar. "A escola está cumprindo todos os protocolos, é seguro. A gente quer que o governador dê aos pais a liberdade de decidir", cravou.

Por outro lado, outros profissionais de educação, que não apoiam o retorno das aulas, aproveitaram o ato para mostrar suas opinições. Os educadores em questão panfletaram contra o retorno das aulas presenciais.

COMENTÁRIOS dos leitores