Governador reforça que ainda não é hora de voltar às aulas

'Reabri-las significa colocar de volta em circulação e em convivência direta mais de dois milhões de estudantes no Estado', disse Paulo Câmara

por Nathan Santos qui, 03/09/2020 - 19:27
Hélia Scheppa/SEI . Hélia Scheppa/SEI

Após um dia marcado por protesto conduzido por representantes de estabelecimentos educacionais privados, em que exigiram o retorno às aulas presenciais, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, se posicionou sobre o pedido. Em comunicado à imprensa, nesta quinta-feira (3), Câmara reiterou que a suspensão das aulas presenciais na educação básica segue mantida no Estado. As aulas estão suspensas desde março em razão da Covid-19.

“As escolas são espaços fundamentais para a sociedade. Garantem conteúdos, socialização, a rotina de trabalho para muitos pais, empregos, até mesmo refeições para milhares de estudantes, no caso das unidades públicas. Mas reabri-las significa colocar de volta em circulação e em convivência direta mais de dois milhões de estudantes no Estado, e o impacto dessa medida ainda não tem, no mundo, parâmetros científicos e precisos de controle”, argumentou o governador, conforme informações da assessoria de imprensa do Governo de Pernambuco. Paulo Câmara reforçou que ainda não é o momento de voltar às aulas e acrescentou: “Não é uma decisão simples, que poderia olhar apenas para a questão econômica, por exemplo”.

“Temos que pensar nas crianças, adolescentes, jovens e em toda a cadeia de profissionais que retornaria às suas atividades presenciais para atender às demandas desse universo. Vamos juntos encontrar caminhos, porque o único enfrentamento que queremos fazer é o do combate à doença e ao vírus”, enfatizou o governador de Pernambuco.

Paulo Câmara garante que a volta às aulas é um tema discutido com frequência entre ele e os demais gestores. O Governo do Estado determinou a prorrogação da suspensão das aulas até 15 de setembro.

COMENTÁRIOS dos leitores