Entenda por que as seleções de emprego pedem redação

Veja dicas de como escrever bons textos para processos seletivos

por Marcele Lima qui, 29/08/2019 - 16:07
Pixabay Confira dicas para ter um bom desempenho na redação Pixabay

Algumas empresas, na hora do processo seletivo, costumam pedir aos candidatos que elaborem uma redação. Para muita gente esse pode parecer um dos pontos mais difíceis do processo, seja por medo do que escrever, por não ter familiaridade com a temática exigida ou simplesmente por achar que suas opiniões podem ser mal vistas pelo avaliador e o sonho de entrar no mercado de trabalho acabar por ali.

A redação busca conhecer a forma como os profissionais se expressam e como dominam a língua portuguesa, sobretudo se a vaga exige conhecimento pleno do idioma. Além disso, quando o tema vem relacionado ao cotidiano, os recrutadores querem entender o quanto os candidatos estão inteirados com os assuntos da atualidade. Já quando pedem que falem de si mesmos, o foco é entender o nível de autoconhecimento e autoavaliação que tem sobre si mesmos.  

De acordo com a professora da Uninabuco (Centro Universitário Joaquim Nabuco) e consultora organizacional, Magali Menezes, a redação também tem um outro objetivo: “Verificar traços da personalidade do candidato por meio do estudo da letra e caligrafia, mais conhecido como estudo por meio da grafologia”, frisa a docente. 

Magali Menezes traz algumas dicas para conseguir um resultado positivo na redação em uma seleção de emprego

1- Ler mais sobre temas voltados para área de atuação ou área a que está se candidatando.

2- Manter-se informado sobre temas relativos ao ambiente onde a empresa em que se pretende trabalhar está inserida. Por exemplo micro e macroeconomia, negócios,  mudança de legislação, inovação.

3- No mundo digital, onde boa parte das pessoas perdeu o hábito de escrever a mão, praticar com papel e caneta ajuda a melhorar a caligrafia e também incentiva a construção de uma ideia e a defesa dela.

4- Evitar a repetição de palavras na construção dos textos. Sempre que possível, procurar substituir por sinônimos, demonstra um vocabulário mais vasto.

5- Cuidado com a linguagem de internet. O dialeto utilizado nas redes sociais não é aceito na comunicação empresarial.

COMENTÁRIOS dos leitores