Por que o Orkut acabou? Rede social nascia há 15 anos

Relembre a história do sucesso ao fracasso da rede social lançada em 24 de janeiro de 2004

por Nathália Guimarães qui, 24/01/2019 - 14:34
Reprodução Reprodução

Em 2004, depois de uma tentativa fracassada de comprar o Friendster, o Google lançou o Orkut em 24 de janeiro. Há exatos 15 anos. A plataforma foi um grande sucesso e liderou o ranking dos sites de relacionamentos mais acessados no país por muito tempo, mas perdeu espaço para o Facebook e outras redes sociais.

O Orkut, batizado em homenagem ao seu criador, o engenheiro de software turco Orkut Büyükkökten, foi criado para o público dos EUA, mas foram os brasileiros que tomaram conta do site. Em 2008, devido ao grande sucesso, as operações do Orkut chegaram a ser transferidas para o Brasil.

Em março de 2011, o presidente do Google, Eric Schmidt, ainda estava divulgando a proeminência do Orkut no Brasil como um sinal de que o Google tinha uma rede social a ser reconhecida. Naquela época, o Orkut tinha 32,7 milhões de usuários no Brasil - três vezes mais que o Facebook.

Mas isso não durou muito. Seis meses depois, o Facebook assumiu a liderança e o Orkut nunca mais reinou. Em um estudo da comScore sobre o tempo gasto em redes sociais no Brasil, o Facebook liderou com 92,8% do total. O Orkut tinha menos de 2%.

A dominância do Facebook foi um dos principais motivos, mas para o criador do Orkut, no entanto, o verdadeiro motivo está relacionado à evolução das redes sociais. "É muito importante inovar sempre e manter-se em contato com as gerações, padrões de uso e temas sensíveis à comunidade. As redes sociais que não evoluem ao longo do tempo correm o risco de ficar desatualizadas ou irrelevantes", explicou Orkut Büyükkökten, em entrevista ao site TechTudo realizada em 2017.

Já esquecido pela maioria dos brasileiros por causa do Facebook, o Orkut foi deixado de lado pelo Google. Em um comunicado publicado em 30 de junho de 2014, a empresa anunciou que iria descontinuar a rede social a partir do dia 30 de setembro. O Google, na época, apostava suas fichas no Google+, que em breve também também será descontinuado.

LeiaJá também

--> Desafio dos 10 anos: as tecnologias que bombavam em 2009

COMENTÁRIOS dos leitores