Apple bane aplicativo que prometia suposta cura gay

Grupo de direitos dos homossexuais disse que o aplicativo era intolerante

por Nathália Guimarães qui, 03/01/2019 - 09:22
Paulo Uchôa/LeiaJáImagens/Arquivo Paulo Uchôa/LeiaJáImagens/Arquivo

A Apple removeu o aplicativo religioso de sua loja que prometia aos usuários oferecer uma suposta cura gay. A organização sem fins lucrativos dos EUA chamada Living Hope Ministries criou a ferramenta há cerca de três anos. O grupo de direitos dos homossexuais, Truth Wins Out, no entanto, entrou com uma petição no site Change.org dizendo que o software era intolerante.

Depois da decisão, o diretor executivo da Truth Wins Out, Wayne Besen, disse que a Apple tinha agido corretamente. "Agradecemos à Apple por exemplificar a responsabilidade corporativa e tomar medidas rápidas para remover um aplicativo perigoso que estigmatiza e rebaixa as pessoas LGBT", disse.

A loja da Apple agora diz que o software não está disponível, mas a empresa de tecnologia não comentou o assunto. As regras da Apple afirmam que os aplicativos não devem incluir conteúdo difamatório ou discriminatório, incluindo comentários sobre orientação sexual.

O diretor executivo do Living Hope Ministries, Ricky Chalette, no entanto, diz que o ministério está entristecido com a decisão de remover o aplicativo. "Independentemente da decisão deles, continuaremos a disponibilizar o aplicativo e nossos serviços para aqueles que os procuram", informou.

COMENTÁRIOS dos leitores