Homem é condenado por falsificar 28 mil discos do Windows

Americano foi considerado culpado por vender algo que geralmente é gratuito

por Nathália Guimarães sab, 28/04/2018 - 09:52
Wikimedia Commons Wikimedia Commons

Um homem da Califórnia (EUA) foi condenado à prisão por 15 meses por falsificar milhares de discos de reinstalação do Windows. Eric Lundgren, que gerencia uma empresa de lixo eletrônico na área de Los Angeles, foi considerado culpado por vender algo que geralmente é gratuito.

Um tribunal federal de apelações confirmou a sentença de Lundgren, que se confessou culpado em 2017 por violação criminal de direitos autorais pela venda não autorizada dos discos. Lundgren, que atua no ramo da reciclagem de lixo eletrônico, fez milhares de cópias do software de recuperação do Windows.

Em 2011, ele solicitou 28 mil cópias destes discos, que foram produzidas na China. O problema é que o material foi interceptado na alfândega dos EUA em 2012.

Esses discos vêm como parte da compra de qualquer nova máquina com o Windows. Segundo Lundgren, o objetivo era permitir que donos de computadores antigos que já não tivessem mais acesso ao CD pudessem ter seu software restaurado após uma falha no HD ou outros problemas que exigissem a reinstalação do sistema.

Ele achava que produzir e vender discos de restauração poderia ajudar os usuários a restaurar seus computadores, em vez de descartá-los. No tribunal, Lundgren se declarou culpado, mas argumentou que o valor dos discos era zero, já que o software foi disponibilizado online gratuitamente pela própria Microsoft.

Mas os tribunais ficaram do lado da acusação. Em comunicado, a Microsoft afirmou que a tática poderia expor os consumidores a malwares e outras formas de crimes cibernéticos. Ao site The Verge, Lundgren disse que em breve cumprirá sua sentença de 15 meses.

LeiaJá também

--> MPF processa Microsoft por coleta de dados no Windows 10

COMENTÁRIOS dos leitores