Após atentado, YouTube aumenta segurança em escritórios

Na terça-feira (3), uma mulher invadiu a sede da empresa e atirou em pelo menos três pessoas

por Nathália Guimarães qui, 05/04/2018 - 11:14
JOSH EDELSON/AFP Sede do YouTube em San Bruno, nos EUA JOSH EDELSON/AFP

O Google anunciou nesta quinta-feira (5) que vai aumentar a segurança nos escritórios do YouTube globalmente. A medida foi anunciada poucos dias após o tiroteio na sede da plataforma de vídeo no início desta semana. Na terça-feira (3), uma mulher identificada como Nasim Najafi Aghdam invadiu a empresa e atirou em pelo menos três pessoas antes de tirar a própria vida.

Em um comunicado divulgado nesta quinta-feira (5), o Google, que é dono do YouTube, classificou o episódio como chocante e perturbador e elogiou os atos heroicos dos funcionários e da comunidade de San Bruno, na Califórnia, onde ocorreu o tiroteio.

A empresa disse que a atiradora entrou na sede através do estacionamento do prédio. O Google também informou que os funcionários do YouTube foram incentivados a tirar uma folga do trabalho após o episódio e que a companhia está disponibilizando serviços de bem-estar gratuitamente.

Antes do tiroteio, Aghdam postou mensagens online alegando que seus vídeos no YouTube estavam sendo censurados. Nascida no Irã, a suspeita era uma geradora de conteúdos veganos e contra os maus-tratos a animais, que misturava com gravações suas fazendo exercícios ou cantando. Tinha perfis em inglês, turco e persa. Todos foram excluídos na internet após o episódio.

O tiroteio gerou mensagens de apoio de executivos-chefes de grandes empresas da tecnologia, incluindo Tim Cook, da Apple, e Satya Nadella, da Microsoft. Alguns CEOs, incluindo Jack Dorsey, do Twitter, foram mais longe e exigiram um controle de armas mais rigoroso.

COMENTÁRIOS dos leitores