Não vale a pena ser motorista do Uber, diz pesquisa do MIT

Segundo estudo, maioria dos motoristas está ganhando menos do que o salário mínimo e 30% estão perdendo dinheiro

por Nathália Guimarães qui, 08/03/2018 - 11:24
Wikimedia Commons Estudo realizado com 1.100 motoristas do Uber e Lyft em 2017 Wikimedia Commons

Não vale a pena ser um motorista do Uber ou Lyft. Pelo menos é o que indica um novo estudo realizado pelo renomado Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos EUA. Os pesquisadores descobriram que a renda por hora de um condutor destes aplicativos é de apenas US$ 3,37 (ou R$ 10,86 em conversão direta) em média. A maioria deles (74%) está ganhando menos do que o salário mínimo e 30% estão perdendo dinheiro.

As despesas com o carro, desde pagar pela gasolina até gastos de manutenção, consomem boa parte do faturamento de 30% dos motoristas, que lucram US$ 0,29 por milha rodada. Segundo o estudo, com o lucro abaixo de US$ 0,54 por milha, quase metade dos motoristas podem anotar perdas em suas declarações de imposto de renda.

O estudo realizado com 1.100 motoristas em 2017 pode ser prejudicial para o Uber e Lyft, que dependem de um fluxo constante de motoristas para operarem seus serviços. Em resposta enviada à revista Fortune, o Uber disse que a metodologia da pesquisa não oferece um retrato preciso dos ganhos dos condutores. A empresa acrescentou que contatou os autores do documento para discutir essas preocupações.

LeiaJá também

--> Bêbado dorme no Uber e paga mais de R$ 5 mil em viagem

COMENTÁRIOS dos leitores