Especialistas dizem que fake news estão longe de acabar

Pesquisa mostra que profissionais do setor de Tecnologia da Informação esperam aumento de notícias falsas na próxima década

por Wagner Silva sex, 20/10/2017 - 16:27

Uma pesquisa recente da empresa americana PewResearch indicou que 51% dos entrevistados acreditam que as fake news, fenômeno relativamente da internet que chegou a alterar resultados de eleições, não tem solução. De fato, eles acreditam que essa “modalidade” tende a crescer e ganhar território nos próximos dez anos. Os pesquisadores ouviram 1.100 especialistas da área de Tecnologia da Informação entre professores, estudantes e escritores.

De acordo com os relatos ouvidos, os entrevistados acreditam que a tecnologia se desenvolve mais rápido do que os responsáveis pelas ações de contenção conseguem trabalhar. Coincidentemente, a parcela otimista acredita que o desenvolvimento tecnológico pode ajudar no combate à disseminação de informações falsas nas redes sociais. Empresas como o Facebook e o Google já têm parceria com empresas de segurança para colocar ferramentas de “fact-checking” online.

Google Ads

Nem mesmo o serviço da gigante de buscas da internet escapa das notícias falsas. Alguns anúncios promovidos por meio do Google Ads disseminam informações que não tem relação alguma com a verdade. O New York Times divulgou um levantamento essa semana que mostra como manchetes mirabolantes atraem leitores para sites infectados ou de venda de produtos.

A revelação mostra a fragilidade de sites que lutam para combater as notícias falsas. Os sites mal intencionados usam o próprio Google AdWords, que tem um mecanismo de checagem de palavras buscadas pelos usuários para inserir os anúncios. Com isso, sites de checagem de notícias sobre política exibiam as propagandas com manchetes falsas.

COMENTÁRIOS dos leitores