Google Play tem pelos menos 8 apps infectados com vírus

Estimativa é que mais de 120 mil internautas pelo mundo ficaram vulneráveis das ameaças digitais

por Nathália Guimarães sab, 15/07/2017 - 10:41
Wikimedia Commons Vírus permite que hackers acessem informações do usuário de maneira silenciosa Wikimedia Commons

O Google Play disponibilizou para os donos de dispositivos Android pelo menos oito aplicativos infectados com vírus, segundo a empresa de segurança digital PSafe. Conforme os especialistas, o malware permanece dormente até o celular ser reiniciado. A estimativa é que mais de 120 mil internautas pelo mundo ficaram vulneráveis das ameaças digitais.

A empresa identificou que os apps Call Recorder, HDR Wallpapers, Girls HD, Girls Collection, Wallpapers HD+, SmartRingtones Lite, Light Booster Cleaner e QR Reader & Generator escondiam o vírus. Uma vez instalado no smartphone, o malware se manifesta de forma silenciosa após o usuário reiniciar o celular.

"Esse comportamento de aguardar ações específicas do celular é comumente utilizado por malwares para evitar sua identificação por ferramentas de segurança", explicou o gerente de segurança da PSafe, Emilio Simoni.

Após encontrar uma rede Wi-Fi, o malware verifica se ainda precisa de mais permissões do usuário e se conecta a um servidor externo para receber comandos. Ele passa, então, a enviar informações do celular, como o modelo do aparelho e a operadora de telefonia.

Depois desse processo, o hacker está apto a roubar histórico de chamadas e mensagens SMS recebidas e enviadas, efetuar ligações, instalar novos aplicativos, além de ter acesso a comandos específicos para roubar fotos do usuário.

"Mesmo as lojas oficiais de aplicativos não estão 100% imunes à ação de hackers, podendo ser alvo de ataques. Por isso, é fundamental que o usuário esteja sempre atento às permissões de acesso que concede", explica o especialista da PSafe.

Segundo ele, é preciso comparar o serviço a ser oferecido pelo app com as permissões solicitadas. Em caso de dúvidas, é recomendável não as aceitar. "Além disso, é muito importante que o usuário tenha um antivírus instalado em seu smartphone, para que o app malicioso seja identificado no momento da tentativa de download", completa.

LeiaJá também

--> Vírus para Android infecta 350 mil celulares no Brasil

COMENTÁRIOS dos leitores