WikiLeaks: CIA criou programa espião para roteadores

Documento descreve como a CIA foi capaz de transformar o aparelho usado para distribuir sinal Wi-Fi em uma máquina de vigilância

por Nathália Guimarães sab, 17/06/2017 - 12:18
Líbia Florentino/LeiaJáImagens/Arquivo Pelo menos 10 marcas de roteadores foram afetadas pelo software espião da CIA Líbia Florentino/LeiaJáImagens/Arquivo

De acordo com novos documentos publicados pelo site WikiLeaks, a Agência Central de Inteligência dos EUA (CIA) desenvolveu uma série de ferramentas para hackear roteadores de pelo menos 10 marcas populares. O relatório descreve como um programa chamado Cherry Blossom é capaz de transformar o aparelho usado para distribuir sinal Wi-Fi em uma máquina de vigilância.

Uma vez instalado, o software permite que um agente da CIA acesse e monitore o tráfego de internet do alvo, procure informações úteis, como senhas, e até redirecione o internauta para um site desejado.

O manual divulgado pelo WikiLeaks descreve diferentes versões do programa Cherry Blossom, cada uma adaptada a um modelo de roteador. Entre as marcas de aparelhos afetados estão Asus, Belkin, Buffalo, Dell, DLink, Linksys, Motorola e Netgear.

O manual também inclui detalhes sobre como os agentes da CIA conseguiram instalar o programa em determinados dispositivos. Na operação típica, roteador era interceptado antes de chegar às lojas. O documento vazado pelo WikiLeaks faz parte de uma série de publicações sobre ferramentas de hacking usadas pela CIA. O relatório é datado de 2012, e não está claro se a tática ainda é usada pela agência.

LeiaJá também

--> WikiLeaks revela como a CIA hackeou iPhones e MacBooks

COMENTÁRIOS dos leitores