Políticos rechaçam Bolsonaro após ele minimizar protestos

Figuras conhecidas da política brasileira desaprovaram o presidente Jair Bolsonaro (PSL) depois que ele disparou críticas aos estudantes brasileiros

por Pedro Bezerra Souza qua, 15/05/2019 - 15:17
Carolina Antunes/PR De passagem nos EUA, Bolsonaro disse que manifestantes são idiotas úteis Carolina Antunes/PR

Figuras políticas repercutiram nesta quarta-feira (15) a afirmação do presidente Jair Bolsonaro (PSL) sobre as manifestações que tomam as ruas das principais cidades do Brasil contra os recentes cortes anunciados pelo Ministério da Educação (MEC).

 De passagem pelos Estados Unidos, o presidente falou, durante entrevista aos jornalistas, que as pessoas que estão nas ruas nesta quarta são “militantes, não sabem nada, são uns idiotas úteis que estão sendo usados como massa de manobra de uma minoria esquerdalhona".

 A deputada federal pelo PSOL do Rio de Janeiro, Talíria Petrone, garantiu que a militância vai derrotar o presidente. “Bolsonaro é tão covarde que, do Texas, quer desmoralizar os que estão nos atos. A verdade é que esse governo tem medo do povo. Não sairemos das ruas até derrotá-lo”, disse. Petrone aproveitou para citar Darcy Ribeiro. “Já dizia Darcy Ribeiro: ‘Eles acreditavam que fossemos perigosos. Gosto de pensar que éramos mesmo’. À luta!”.

 O também deputado federal pelo PSOL do Rio de Janeiro, Marcelo Freixo, alfinetou Bolsonaro e sua equipe. “Quando vejo Jair Bolsonaro atacando manifestantes, chamando-os de ‘idiotas úteis’, penso nos idiotas inúteis. Bolsonaro conhece bem, o governo está cheio e o presidente é um deles. Bolsonaro diz que a juventude que está nas ruas não sabe a fórmula da água. Francamente, Bolsonaro. Essa juventude está na rua fazendo tsunami”, avisou.

 Já a deputada federal e presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, disse que Bolsonaro não quis enfrentar os manifestantes. “Não meça os outros por você, Jair Bolsonaro. Além de tudo é covarde, fugiu para os Estados Unidos, bater continência à bandeira americana para não enfrentar os estudantes e professores”, disparou.

 Por sua vez, a deputada federal pelo PSOL Distrito Federal, Erika Kokay, lembrou da polêmica do kit gay. “Nos EUA, Bolsonaro chama manifestantes da educação de ‘idiotas úteis’. ‘Idiotas úteis’ são aqueles que acreditaram em ‘Kit Gay’, ‘ideologia de gênero’, ‘mamadeira de p.....’ e colocaram um fascista no Palácio do Planalto!”, opinou a parlamentar.

 A também deputada federal Maria do Rosário questionou o presidente: “Milhões de brasileiros estão nas ruas pela educação e contra seu governo, o que o Sr tem a dizer? São uns idiotas úteis e uns imbecis. Vamos repor a verdade: idiota, inútil e imbecil é esse governo”.

 “Impressionante a reação de Bolsonaro ao protesto de milhares de estudantes no país. Chamar jovens que defendem a educação de ‘idiotas’ apenas revela o nível de quem está na presidência da República. O Brasil é muito maior que Bolsonaro”, declarou o ex-candidato à Presidência da República pelo PSOL, Guilherme Boulos.

 O deputado federal e vice-presidente nacional do PT, Paulo Teixeira, disse que Bolsonaro quer acabar com a educação. “O presidente ‘inteligente’ quer exterminar a educação. Resta aos que ele chama de ‘idiotas úteis’ defender a educação. Bolsonaro diz que manifestantes contra cortes na educação são idiotas úteis e massa de manobra”, alegou.

COMENTÁRIOS dos leitores