Bolsonaro é homenageado pela Câmara de Comércio Brasil-EUA

De acordo com a entidade, o título de Pessoa do Ano dado a Jair Bolsonaro tem a intenção de estreitar os laços comerciais bilaterais entre os dois países

por Pedro Bezerra Souza ter, 12/02/2019 - 09:27
Antonio Cruz/Agência Brasil A homenagem acontecerá no próximo dia 14 de maio, em um jantar de gala em Nova Iorque Antonio Cruz/Agência Brasil

A Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos escolheu o presidente Jair Bolsonaro (PSL) como a Pessoa do Ano. A entidade, que tem sede em Nova Iorque, nos Estados Unidos, informou que o título é em reconhecimento à intenção manifestada de estreitar os laços comerciais bilaterais.

A premiação já acontece há 49 anos e tem como objetivo homenagear dois líderes (um brasileiro e um norte-americano), reconhecidos pela atuação em aproximar e melhorar as relações entre os países. Entretanto, a organização do prêmio ainda não decidiu quem será o líder americano homenageado neste ano.

“É um reconhecimento de sua intenção fortemente declarada de fomentar laços comerciais e diplomáticos mais próximos entre Brasil e Estados Unidos e seu firme comprometimento em construir uma parceria forte e duradoura entre as duas nações”, disse parte do comunicado oficial da Câmara de Comércio, sobre o porquê da escolha de Bolsonaro como o homenageado brasileiro.

O presidente deve receber o prêmio em um jantar de gala marcado para o próximo dia 14 de maio, no Museu de História Natural de Nova Iorque. Ainda no comunicado sobre a escolha, a Câmara de Comércio ressaltou a carreira política de Bolsonaro, que começou em 1988, quando ele foi eleito vereador do Rio de Janeiro. A entidade não deixou de mencionar os sete mandatos consecutivos como deputado federal.

“Ele lutou pelos direitos de militares e pensionistas ativos e inativos. Ele também focou em melhorar a segurança dos cidadãos no Brasil e enfatizou os valores cristãos e a família”, afirmou a Câmara. Mais de mil líderes e personalidades internacionais devem participar do evento de premiação de Bolsonaro.

COMENTÁRIOS dos leitores