Clã dos Ferreira ganha força com Anderson no comando do PR

Em entrevista concedida ao LeiaJá, o prefeito de Jaboatão dos Guararapes disse que assumiu a presidência para “impulsionar” o partido em Pernambuco e disse que orientação é pela oposição ao governo Paulo Câmara

por Taciana Carvalho qui, 20/12/2018 - 08:35
Reprodução/Facebook/Anderson Ferreira Reprodução/Facebook/Anderson Ferreira

Se o clã dos Ferreira em Pernambuco conseguiu crescer ainda mais na eleição deste ano com o retorno de Manoel Ferreira (PSC) à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) e a garantia de espaço na Câmara Federal com André Ferreira (PSC), a família que tem forte atuação no segmento evangélico parece querer somar mais força: o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, é o novo presidente do Partido Republicano (PR) no Estado.

Em entrevista concedida ao LeiaJá, o prefeito falou que a pretensão é “impulsionar a legenda” e aproveitou para alfinetar o governo Paulo Câmara (PSB). “O governo está um pouco perdido”, disse.

Segundo Anderson, foi necessário uma “oxigenação” na sigla diante do novo momento político que vive o Brasil. “É uma nova etapa que o partido está vivendo. Eu já fui presidente do partido e a gente assumiu uma nova missão que foi aqui em Jaboatão. O partido com dois anos da nossa gestão teve uma visibilidade não só no estado, mas também fora com um projeto inovador. Então, foi uma reunião que houve da Executiva Nacional e eu assumi a presidência para impulsionar o partido, montar e atrair lideranças políticos que contenham essa visão. Fico lisonjeado com esse reconhecimento da Executiva nacional”, detalhou.   

Questionado sobre se a legenda continua na base do governador Paulo Câmara ou novos rumos virão, o republicano disse que todos conhecem sua posição em relação ao governo do pessebista. “Vocês já sabem e já acompanharam na eleição. Agora essa pergunta não pode ser feita a mim, tem que ser feita aos dois deputados que estão na Assembleia Legislativa que é o Rogério Leão e Henrique Queiroz Filho, mas a orientação do partido lógico é manter o mesmo posicionamento de oposição”.

O prefeito, em meados de junho passado, apoiou uma nota na qual detonava Paulo Câmara, na época pré-candidato à reeleição. O documento foi feito para anunciar a saída do PSC da base do governo para se juntar à oposição no movimento denominado "Pernambuco vai Mudar".  Assinada pelo presidente regional do PSC, André Ferreira, o grupo Ferreira detonou o pessebista afirmando que nele faltava “diálogo, capacidade administrativa e, principalmente, liderança”.

No entanto, passada a eleição, Anderson Ferreira afirma que a oposição continuará sendo consciente e apontando os erros no segundo mandato de Câmara com o objetivo de construir soluções para o governo. “Nós não fazemos oposição por fazer oposição. Vamos fazer uma oposição para ajudar aí o governo achar o caminho porque o governo está um pouco perdido nessa construção e a oposição vai ter esse papel importante de apontar os erros para que possa ser revisto e para que a população possa ganhar com isso. É uma oposição consciente, nós acreditamos que Pernambuco tem potencial para vencer esse momento de crise. O PR vai estar vigilante, vai estar se posicionando, fazendo essa oposição. Agora, cabe aos parlamentares que assumiram agora seguir essa orientação, esse caminho”, alfinetou.

Anderson revelou que não chegou a conversar com o deputado federal Sebastião Oliveira, que presidia o partido em Pernambuco, sobre a mudança. “Ainda não, mas com certeza vamos marcar esse encontro”. No entanto, ele antecipou que o deputado continuará na direção da sigla. “Ele é deputado federal e eu achei mais do que justo deixá-lo como membro”.

Além de Anderson, André e Manoel Ferreira, o vereador do Recife, Fred Ferreira (PSC), que disputou a vaga de vice-governador de Pernambuco na chapa liderada pelo senador Armando Monteiro (PTB), também integra o clã.

Em Jaboatão, na eleição de 2016, Anderson conseguiu derrotar até mesmo o candidato do então prefeito Elias Gomes (PSDB) e outros nomes conhecidos.  Assim que assumiu o mandato, em entrevista ao LeiaJá, ele afirmou que seu governo seria voltado para o social olhando para os que mais precisam. Na época, ele também chegou a dizer que os jaboatonenses tinham “despertado” e pedido por uma faxina ética.

COMENTÁRIOS dos leitores