PE: postura eleitoral do PT deve ser formalizada em julho

A reunião, em que 300 delegados votariam por um ou outro alinhamento, estava marcada para o próximo domingo (10)

por Giselly Santos qua, 06/06/2018 - 10:34
Montagem/LeiaJáImagens/Arquivo Esta é a segunda vez que o encontro é adiado Montagem/LeiaJáImagens/Arquivo

Diante dos altos e baixos para a construção de alianças para as eleições deste ano, a direção nacional do PT adiou o encontro estadual da legenda que definiria se em Pernambuco eles estariam alinhados ao PSB ou lançariam candidatura própria. A reunião, em que 300 delegados votariam por um ou outro alinhamento, estava marcada para o próximo domingo (10), mas foi postergada e deve ser remarcada para o final de julho [entre os dias 27 e 29].  

A nota comunicando o adiamento foi divulgada no fim da noite dessa terça-feira (5), depois de uma reunião entre o governador Paulo Câmara (PSB) e a presidente nacional da legenda, senadora Gleisi Hoffmann (PR) - que não chegou a um acordo final; e o anúncio do apoio do PDT à candidatura do PSB ao governo de Minas Gerais, onde o cenário é o inverso de Pernambuco. Lá o PT busca a aliança com os pessebistas e o cancelamento da postulação deles pelo governo, já em terras pernambucanas quem pleiteia o apoio é o PSB.

Além da previsão de novas datas para os encontros estaduais, o comunicado da executiva do PT também afirma que “até que as tratativas com os demais partidos sejam acordadas, estão mantidas as pré-candidaturas aos governos” de diversos estados, entre elas a da vereadora do Recife, Marília Arraes (PT).

Nos bastidores, entre os que defendem a aliança em Pernambuco, o novo adiamento - inicialmente o encontro estava marcado para 12 de maio -  foi visto como um fôlego a mais para as articulações e tentativas de acordos. Paulo Câmara teria apresentado como contrapartida ao apoio para a direção o alinhamento entre os partidos em cinco estados e o convencimento em Minas. A direção nacional do PT acredita que a adesão do PSB seria positiva para a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Palácio do Planalto. 

Por outro lado, entre os que desejam a candidatura de Marília, a postergação do encontro não foi bem vista, uma vez que eles pregavam com otimismo a vitória da tese de candidatura própria, principalmente depois de uma pesquisa interna feita pela Vox Populli, que seria positiva para a vereadora.

Veja na íntegra a nota do PT:

Considerando as tratativas com os partidos de centro-esquerda e a tática nacional definida pela Direção Nacional do Partido dos Trabalhadores, de que a centralidade da nossa disputa é a candidatura nacional de Lula à Presidência da República, a Comissão Executiva Nacional resolve divulgar uma nova agenda pré-eleitoral. Todos os encontros estaduais do PT serão adiados para a data de 27 a 29 de julho, bem como o encontro nacional que será realizado entre os dias 30 de julho e 5 de agosto.

Desta forma, até que as tratativas com os demais partidos sejam acordadas, estão mantidas as pré-candidaturas aos governos estaduais, a exemplo de Fátima Bezerra,no Rio Grande do Norte, Marília Arraes,em Pernambuco, Luiz Marinho, em São Paulo, Dr. Rosinha,no Paraná, Miguel Rossetto, no Rio Grande do Sul, Paulo Rocha, no Pará, Décio Lima, em Santa Catarina, dentre outras.

COMENTÁRIOS dos leitores