O ano de 2017 na política paulista pela visão do LeiaJá SP

Doria foi eleito em cima da proposta de que seria um gestor para a cidade de São Paulo, mas em meio ano de mandato viu sua popularidade cair

por Wagner Silva qua, 13/12/2017 - 14:49
Guti, 31, é o prefeito mais jovem eleito na cidade de Guarulhos Reprodução / Facebook Guti, 31, é o prefeito mais jovem eleito na cidade de Guarulhos

A política paulista viu a ascensão de dois candidatos opositores ao Partido dos Trabalhadores (PT) nos dois maiores colégios eleitorais: a capital, com quase 9 milhões de eleitores, e Guarulhos, com pouco mais de 900 mil. João Doria (PSDB) e Guti (PSB) foram eleitos nas duas cidades, respectivamente. Nas duas ocasiões chamou a atenção o número de votos brancos e nulos.

Em São Paulo, que detém o maior número de eleitores do país, João Doria teve 3.085.187 votos, contra 3.096.304 de brancos, nulos e abstenções. Em Guarulhos, segunda maior cidade da região metropolitana, as pessoas que optaram por não escolher um candidato somaram 326.108, enquanto Guti foi eleito com pouco mais de 481 mil votos.

Doria começou o ano colocando em prática algumas promessas de campanha, como o congelamento das tarifas do transporte público e o problema da Cracolândia. Com a recusa dos dependentes em se tratar em clínicas especializadas, o prefeito recorreu à Justiça para retirar as pessoas dos locais de consumo, permissão que foi revogada pouco depois. As ações da Polícia Militar acabaram mudando a relação de Doria com a opinião pública.

Em agosto, os professores da rede municipal de ensino protestaram pelo fim do racionamento de merenda, o que fez com que a administração pública adotasse a Farinata como alternativa para solucionar o problema, ideia que suscitou explicações da igreja católica em São Paulo, apoiadora da ideia, mas que acabou sendo abandonada em seguida, por conta da má repercussão.

Guti participou de conversas com o governador Geraldo Alckmin no final de 2016 e entregou moradias populares prometidas pela gestão anterior assim que assumiu o cargo. Outra estratégia do empresário de 31 anos foi negociar a dívida da empresa que fornece água para a cidade com a Sabesp. No meio do ano, Guti aproveitou para entregar as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) que haviam sido concluídas e estavam pendentes da entrega dos equipamentos, como no caso da unidade do Jardim Paulista que tinha previsão de entrega em 2014.

COMENTÁRIOS dos leitores