Governar é não pensar em si, diz Temer sobre adversidades

O presidente também afirmou que o momento do país pede "maturidade e serenidade". Além disso, ele aproveitou para celebrar o que chamou de uma “semana repleta de boas novas” na economia

por Giselly Santos sab, 09/09/2017 - 10:08

Em vídeo publicado nas redes sociais, o presidente Michel Temer (PMDB) ressaltou que o momento do país pede maturidade e afirmou que diante das adversidades políticas e econômicas é necessário “não se omitir, enfrentar a realidade e não pensar em si”. Na gravação de dois minutos, o peemedebista também aproveitou para celebrar o que chamou de uma “semana repleta de boas novas” na economia. 

"O que mais me encoraja e dá força para enfrentar os desafios é sentir na sociedade o desejo de corrigir os erros das administrações anteriores. Tenho a consciência clara do País que queremos. Vamos trabalhar juntos para transformar o Brasil. Vamos fazer isso com equilíbrio, com energia, com determinação", afirmou.

Para Temer, “governar é mesmo diante de momentos adversos, não se omitir, enfrentar a realidade”. “É não pensar em si, mas no futuro das pessoas, do País. É oferecer condições para que todos possam ser responsáveis e provedores do seu bem-estar, do seu futuro", declarou. "Serenidade combina com maturidade. É tudo que o momento pede", acrescentou.

O presidente, no entanto, não comentou em nenhum momento a prisão do seu ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB), ou a investigação aberta pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que pode levar à revisão do acordo de delação premiada de Joesley e Wesley Batista. Os depoimentos firmados pela colaboração resultaram em uma denúncia feita por Janot contra Temer por corrupção passiva. 

Retomada da economia

No vídeo, Temer pontuou ainda ações que "confirmam" a continuidade da recuperação econômica do país. Ele citou dados como a redução da taxa básica de juros (Selic) em um ponto porcentual, para 8,25% ao ano, e a aprovação no Congresso Nacional do projeto que cria a Taxa de Longo Prazo (TLP). 

"A retomada do crescimento também se revela na produção de veículos no Brasil, que subiu 45% em agosto na comparação com o mesmo mês do ano passado. Aumento das exportações. Recorde na produção de grãos. Crescimento do PIB. Dólar estável. Diminuição do Risco Brasil. Dados otimistas apontam uma recuperação do emprego", disse.

“Todos esses fatores são resultado do nosso firme compromisso com as reformas que estão em curso, com o resgate da nossa economia e principalmente com a criação de novas frentes de trabalho”, completou. 

Embed:

COMENTÁRIOS dos leitores