Dono do JBS diz que deu R$ 30 milhões para Cunha

Joesley Batista disse que com o valor o ex-presidente da Câmara “saiu comprando um monte de deputados Brasil a fora” para sua campanha de 2015 à presidência da Casa

por Taciana Carvalho sex, 19/05/2017 - 15:58
Marcelo Camargo/Agência Brasil/Fotos Públicas ainda disse à PGR que pagou R$ 5 milhões de 'saldo de propina' para Cunha depois dele ter sido preso Marcelo Camargo/Agência Brasil/Fotos Públicas

O delator Joesley Batista, dono da JBS, disse à Procuradoria Geral da República (PGR) em sua delação premiada, que deu para o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), um valor de R$ 30 milhões para sustentar a campanha do peemedebista na eleição para a presidência da Casa em 2015.

Joesley afirmou que, desse valor, R$ 12 milhões foi em dinheiro vivo, R$ 10,9 milhões por meio de pagamentos com notas frias e R$ 5,6 milhões em doação oficial. O empresário também contou que Cunha “saiu comprando um monte de deputados Brasil a fora”.

“R$ 30 milhões. Foi trinta. Nós demos trinta. Pago R$ 10 milhões com nota fria de fornecedores diversos que ele [Cunha] apresentava. Pelo que eu entendi, ele [Cunha] saiu comprando deputado, saiu comprando um monte de deputados Brasil a fora. Para isso que servia os R$ 30 milhões”, teria dito o delator.

Joesley ainda disse à PGR que pagou R$ 5 milhões de “saldo de propina” para Cunha depois dele ter sido preso. O valor era relativo a uma dívida de R$ 20 milhões com o ex-deputado referente à atuação dele na tramitação de projeto que desonerou a cadeia produtiva do frango. 

COMENTÁRIOS dos leitores