Nacional Ceará Paraíba Pará Pernambuco São Paulo

Para senador, "escola não deve ensinar educação religiosa"

Para o recifense Cristovam Buarque (PPS), a escola do estado tem que ser laica e não deve influenciar na escolha da religião dos alunos

por Taciana Carvalho sab, 11/03/2017 - 15:55
Reprodução/Facebook Reprodução/Facebook

Nas últimas quinta (9) e sexta-feira (10), o senador recifense Cristovam Buarque (PPS) esteve na capital pernambucana para participar de um evento em referência ao bicentenário da Revolução de 1817 e para lançar seu 33° livro intitulado "Mediterrâneos Invisíveis". Em entrevista ao LeiaJá, ele chegou a dizer que a educação no Brasil é uma tragédia não apenas no governo Temer, mas também nas gestões dos ex-presidentes Lula e Fernando Henrique Cardoso (FHC). 

Cristovam Buarque, em conversa posterior, também polemizou ao falar sobre o tema religião. "Eu sou a favor da liberdade. A escola não deve ensinar educação religiosa para uma criança. A escola é secular. A igreja evangélica pode ter uma escola, a igreja católica pode ter uma escola, os ateus podem ter uma escola, mas a escola pública do estado tem que ser laica e não tem que influir na escolha da religião", declarou. 

"A escola pode influenciar na história de todas as religiões, mas não orientar para uma. Sou contra orientar para uma ou outra religião. O estado, no Brasil, não é religioso diferente do Irã, por exemplo. Diferente do Vaticano, que ensina catolicismo. Não se pode imaginar uma escola no Vaticano não ensinar catolicismo, mas no Brasil tem que ser laica e, em casa, os pais ensinam religião", argumentou o senador. 

Cristovam também já tinha dito que "o Brasil está perdido" e que dois grandes problemas afetam o país: a falta de uma coesão nacional e a falta de um rumo para onde ir.

COMENTÁRIOS dos leitores