Petróleo fecha em alta, de olho na produção da Líbia

Na Intercontinental Exchange (ICE), o barril do Brent para abril subiu 0,76%, para US$ 62,10, com queda de 1,04% na semana

sex, 08/02/2019 - 17:40
Foto: Marinelson Almeida/Flickr Queda semanal dos preços do petróleo se deu em um cenário de preocupações com a demanda por energia, um dólar mais forte e relatos de que a Líbia poderá, em breve, aumentar sua produção Foto: Marinelson Almeida/Flickr

Os contratos futuros de petróleo fecharam em leve alta nesta sexta-feira, 8, em recuperação após fortes perdas registradas nos dias anteriores e com os agentes monitorando a produção de óleo na Líbia.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para entrega em março fechou em alta de 0,15%, para US$ 52,72 por barril, com perda semanal de 4,60%. Já na Intercontinental Exchange (ICE), o barril do Brent para abril subiu 0,76%, para US$ 62,10, com queda de 1,04% na semana.

Em relação ao quadro da oferta, um general líbio assumiu nesta semana o controle do maior campo petrolífero do país, o Sharara, aumentando a probabilidade de a instalação reiniciar a produção. A Líbia, que integra a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), está, atualmente, isenta do acordo do cartel para reduzir a produção devido à agitação civil que assolou sua indústria e economia petrolífera. No entanto, de acordo com a estatal líbia National Oil Corp, a produção no campo não deve ser iniciada em breve.

A queda semanal dos preços do petróleo se deu em um cenário de preocupações com a demanda por energia, um dólar mais forte e relatos de que a Líbia poderá, em breve, aumentar sua produção. Além disso, as incertezas no cenário do comércio global e mercados de ações vulneráveis contribuíram para o quadro econômico ressaltado pelos "ursos" do petróleo. "Crescentes preocupações econômicas, a queda dos mercados de ações e as dúvidas emergentes de que o conflito comercial entre os EUA e a China será resolvido estão pressionando os preços do petróleo", disse o analista Carsten Fritsch, do Commerzbank.

"Após a alta acentuada no início do ano, o Brent tem se movimentado em uma faixa estreita entre US$ 60 e US$ 63 por barril desde meados de janeiro. Se cair abaixo desse nível, o preço poderá ficar sob maior pressão devido à venda técnica. Afinal, o aumento dos preços em janeiro foi acompanhado por consideráveis compras especulativas", afirmou Fritsch. Fonte: Dow Jones Newswires

COMENTÁRIOS dos leitores