Professor é agredido com socos por funcionário de escola

As agressões foram motivadas porque a escola quis descontar um valor, equivalente a três dias de trabalho, da multa pela rescisão

por Jameson Ramos sex, 15/06/2018 - 12:32
Reprodução . Reprodução

Tentando homologar a rescisão contratual, o professor de língua espanhola acabou sendo agredido pelo auxiliar administrativo do Centro de Ensino Logos de Samambaia. Paulo Victor Bezerra atacou com socos e chutes Cristiano Alexandre Batista. Segundo informações, as agressões foram motivadas porque a escola quis descontar um valor, equivalente a três dias de trabalho, da multa pela rescisão. O caso aconteceu no Distrito Federal.

Ao Metrópoles, Cristiano disse que a instituição alegava faltas não compensadas. O professor explicou que não deu aula nesses dias por questões de saúde - ele afirma ter um rim transplantado há 11 anos e no início do mês passado teve intercorrências, precisando ir ao hospital.  

Ao ser contestado pelo desconto, o funcionário da escola se irritou, chamando a vítima de 'moleque' e 'irresponsável', iniciando segundos depois a agressão física. O professor registrou um boletim de ocorrência na 5ª Delegacia de Polícia do Distrito Federal. O Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinproep-DF) reprovou a atitude e disponibilizou um advogado para dar suporte ao docente. 

Em entrevista ao Metrópoles, a defesa da escola diz que Paulo Victor "apenas se defendeu" e que "a instituição quis pagar todos os direitos previstos na legislação, mas o professor não aceitou".

COMENTÁRIOS dos leitores