Cobre opera em baixa, após dados frustrantes da China

Há o temor de que diretrizes ambientais da potência asiática possam conter a demanda

qui, 14/06/2018 - 08:22

O cobre opera em queda na manhã desta quinta-feira, em uma jornada negativa para os metais básicos em geral, depois da divulgação de indicadores abaixo da expectativa na China. Além disso, há o temor de que diretrizes ambientais da potência asiática possam conter a demanda.

Às 7h45 (de Brasília), o cobre para três meses caía 0,55%, a US$ 7.202 a tonelada, na London Metal Exchange (LME). Às 7h55, o cobre para julho tinha baixa de 0,60%, a US$ 3,2345 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Na China, a produção industrial cresceu 0,58% em maio ante abril e 6,8% na comparação anual, abaixo da previsão de +7,0% dos analistas ouvidos pela Dow Jones Newswires. As vendas no varejo e os investimentos em ativos fixos também cresceram menos que o esperado, segundo os dados oficiais.

Além disso, investidores monitoram os sinais da política monetária. Na quarta-feira, o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) decidiu elevar os juros e indicou trajetória de mais aperto monetário. Isso tende a fortalecer o dólar, mas a moeda americana recua frente a outras divisas fortes nesta manhã. Analistas apontam que o câmbio já havia incorporado a tendência de mais altas de juros, por isso a reação de hoje das moedas.

Há expectativa agora pela decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), às 8h45, seguida por entrevista coletiva do presidente da instituição, Mario Draghi, às 9h30.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco caía 0,42%, a US$ 3.198,50 a tonelada, o alumínio recuava 0,59%, a US$ 2.265,50 a tonelada, o estanho tinha baixa de 0,02%, a US$ 20.870 a tonelada, o níquel caía 2,17%, a US$ 15.310 a tonelada, e o chumbo cedia 0,32%, a US$ 2.477 a tonelada. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tags:

COMENTÁRIOS dos leitores