PF apreende mais de 20 quilos de lagosta vermelha

Por conta da época de reprodução, a comercialização e o transporte do crustáceo estão proibidos até 31 de maio

qua, 23/05/2018 - 09:23
Polícia Federal/Divulgação Por conta da época de reprodução, a comercialização e o transporte do crustáceo estão proibidos até 31 de maio Polícia Federal/Divulgação

A Polícia Federal apreendeu no último domingo (20), 22 quilos de lagosta vermelha em Gravatá, no agreste de Pernambuco. De acordo com a PF, um homem foi preso por estar comercializando o crustáceo. O caso aconteceu durante a 'Operação Argos', que reprime a pesca e comercialização de lagosta no período de defeso, que é o período de reprodução. Por conta dessa época, a comercialização e o transporte do crustáceo estão proibidos até 31 de maio.

De acordo com a PF, o homem, um pintor industrial de 30 anos, foi preso após oferecer a lagosta aos policiais federais que estavam descaracterizados. A prisão e a apreensão aconteceram no Espaço Construção, que fica às margens da BR-232, em Gravatá. O vendedor foi autuado por transportar e comercializar espécimes no período no qual a pesca seja proibida.

Durante o depoimento, o suspeito informou que comprou a lagosta no último dia 17 no Mercado de São José, no centro do Recife. Após pagar uma fiança de R$ 1 mil, ele foi liberado e vai responder ao processo em liberdade. As lagostas foram doadas para uma instituição de caridade indicada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). 

No último dia 17, a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) e a Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma), da Polícia Militar, apreenderam mais de 30 quilos de lagosta vermelha em um boxe de Brasília Teimosa, na Zona Sul do Recife

PERÍODO DE DEFESO

Uma instrução normativa do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o período de defeso das lagostas vai de 1º de dezembro a 31 de maio, período em que a pesca – seja profissional ou amadora – fica proibida. A multa pela captura, transporte ou comercialização irregular varia de R$ 700 a R$ 100 mil, com acréscimo de R$ 20 por quilograma de pescado apreendido. Os estabelecimentos que trabalham com o crustáceo devem apresentar declaração de estoque. 

COMENTÁRIOS dos leitores