Metrô atropela três PMs que perseguiam suspeitos

Pelo menos um dos policiais morreu na hora. Os outros dois foram socorridos em estado grave

ter, 15/05/2018 - 22:58 Atualizado em: qua, 16/05/2018 - 07:13

Agentes da Polícia Militar foram atropelados por uma composição do metrô enquanto perseguiam um suspeito entre as estações do Recife e Joana Bezerra, na região central da capital pernambucana. Dois PMs morreram na hora e os outros dois foram encaminhados para o Hospital da Restauração. Segundo o HR, Adeildo José Alves está em estado grave e o soldado Luciano está consciente.

Uma equipe do Grupo de Apoio Tático Itnerante (GATI) estava atuando em uma tentativa de homicídio em uma favela próximo à linha do metrô. Os suspeitos pularam a mureta de proteção e correram em direção aos trilhos, sendo perseguidos por seis policiais. Foi neste momento que um trem passou em alta velocidade e atingiu os três policiais.

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informou que o acidente aconteceu às 20h51 da terça-feira (15) na via férrea de circulação restrita no Bairro de São José, nas proximidades da estação de Joana Bezerra. A CBTU disse que "lamenta o ocorrido e acionou de imediato os órgãos competentes". A empresa disse, ainda, que está à disposição para prestar os esclarecimentos às autoridades responsáveis pela apuração do fato. O funcionamento do metrô, tanto a Linha Centro quando a Sul, foi interrompido devido ao grave incidente. 

Em nota, a Polícia Militar disse que "lamenta profundamente o trágico acontecimento desta terça-feira". A corporação disse, ainda, que agora está fixando as atenções "às famílias dos que perderam a vida em defesa da sociedade, bem como, em total apoio aos policiais militares que se encontram feridos". Confira a nota na íntegra:

A Polícia Militar lamenta profundamente o trágico acontecimento desta terça-feira (15/05) à noite, quando dois policiais  do 16º BPM, no estrito cumprimento do dever, acabaram mortos, atropelados por uma composição do metrô na Estação Recife. O fato ocorreu quando o grupo de policiais militares realizava incursões na área férrea na procura de contumazes meliantes que usam do local para o cometimento de crimes como tráfico e assaltos. Outros dois policiais que formavam a equipe continuam recebendo atendimento médico no Hospital da Restauração. Nesse momento difícil, a Corporação pede a compreensão de todos, se comprometendo a, quando tiver informações precisas sobre o caso, repassá-las à sociedade. Agora, fixamos nossas atenções às famílias dos que perderam a vida em defesa da sociedade, bem como, em total apoio aos policiais militares que se encontram feridos.

COMENTÁRIOS dos leitores