Mulher raptada quando bebê reencontra família após 40 anos

A separação aconteceu em 1976 quando o país passava pela chamada Guerra Suja, na Argentina

por Naiane Nascimento qua, 06/12/2017 - 14:40
Gaspar Galazzi História de Adriana foi descoberta após muitas investigações. Gaspar Galazzi

Uma história de reencontro aconteceu na Argentina, intermediada pela organização de direitos humanos Abuelas de Plaza de Mayo. Uma mulher foi tirada dos braços da mãe quando bebê e voltou para sua família 40 anos depois. A separação aconteceu em 1976 quando o país passava pela chamada Guerra Suja, quando um golpe de Estado foi instaurado junto a uma ditadura militar. 

Diante dessas histórias de separação, o grupo já realizou 126 reencontros e o mais recente foi o caso de Adriana, hoje, com 40 anos. Ela entrou em contato com a organização informando que descobriu não ser filha biológica da família que a criou. O procedimento para encontrar sua família original demorou quatro meses. No processo, foi descoberto que até sua data de nascimento havia sido falsificada por uma médica. 

A história de Adriana foi descoberta após muitas investigações. Ela nasceu em 1977 enquanto sua mãe estava presa em um cativeiro. Ela é filha de uma estudante de engenharia, de 23 anos, então pertencente a uma organização político-militar de esquerda, vítima do regime. Dois meses após ter sido presa, Violeta, mãe de Adriana, deu à luz.

O seu companheiro, pai da criança, também estava preso. Após o bebê ter sido afastado, seus pais desapareceram e jamais foram vistos. Após os 40 anos, ela reencontrou os integrantes da sua família em Buenos Aires e confessou estar muito feliz.

 

COMENTÁRIOS dos leitores