A cada 23 minutos um jovem negro é morto no Brasil

A Organização das Nações Unidas, ONU Brasil, lançou a campanha #VidasNegras - uma iniciativa de conscientização nacional pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente

por Jameson Ramos sab, 11/11/2017 - 13:34
Tania Rego/Agência Brasil A campanha foi lançada em meio a década internacional de Afrodescendentes Tania Rego/Agência Brasil

Em uma semana que antecede a Semana da Consciência Negra, comemorado no próximo dia 20 de novembro, a Organização das Nações Unidas, ONU Brasil, lançou a campanha #VidasNegras - uma iniciativa de conscientização nacional pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente. A campanha foi iniciada nesta terça-feira (7), em cerimônia que reuniu em Brasília representantes da sociedade civil, autoridades públicas e difigentes da ONU. O organismo internacional fez um apelo à sociedade brasileira e ao poder público por repostas ao racismo e à discriminação. Um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos no Brasil. Em um ano, esse número chega a 23 mil jovens negros mortos no país.

Em entrevista para o site das Nações Unidas, Nicky Fabiancic, coordenador-residente do Sistema das Nações Unidas no Brasil, falou que os dados mostram a “dura realidade” enfrentada pela juventude negra brasileira, “que sofre o impacto do racismo estrutural que precisamos combater”.

Ainda segundo informado pela ONU, o coordenador fez um apelo à sociedade brasileira e ao poder público para que reajam aos problemas vividos pela juventude negra. “O racismo mata. E não podemos ser indiferentes. Um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos. Não podemos ficar indiferentes. Mas devemos e podemos caminhar juntos para mudar essa realidade. Cada vida importa. Não devemos deixar ninguém para trás. Nós, os chefes das agências da ONU Brasil, convidamos todas e todos a trabalhar por um país mais pacífico, mais justo e mais inclusivo”, concluiu.

Para a organização, o racismo é uma das principais causas históricas da situação de violência e letalidade a que a população negra está submetida. Atualmente, um homem negro tem até 12 vezes mais chance de ser vítima de homicídio no Brasil que um não negro, segundo o Mapa da Violência.

A campanha tem em seu "casting" artistas e famosos negros como Tais Araújo, Dream Team do Passinho, Érico Brás, Kenia Maria e Elisa Lucinda.

Confira o vídeo da campanha:

Embed:

COMENTÁRIOS dos leitores