Dono do Ponto do Açaí é preso por incêndio criminoso

Seu estabelecimento fica situado na loja ao lado da incendiada, em Boa Viagem

por Naiane Nascimento ter, 12/09/2017 - 10:13 Atualizado em: ter, 12/09/2017 - 12:05
Reprodução/Google Maps Dois outros envolvidos também foram presos Reprodução/Google Maps

No início deste ano, em 20 de janeiro, um incêndio foi registrado na loja onde eram comercializadas comidas típicas da Região Norte, a Casa do Pará. Diante das investigações realizadas pela Polícia Civil, foi constatado que o fogo foi criminoso e provocado a mando do empresário Leonardo Emanuel Mendonça Lacerda, dono da loja concorrente, o Ponto do Açaí.

A sua loja é situada ao lado do estabelecimento incendiado, na mesma galeria, localizada na Avenida Conselheiro Aguiar, em Boa Viagem, na Zona Sul. Conforme a Polícia Civil, além do empresário - proprietário de vários pontos distribuídos pelo Recife - dois executores também foram presos pelo envolvimento no incêndio da loja concorrente. 

A delegada responsável pelo caso, Beatriz Leite, detalhou que as imagens do crime foram fundamentais para que a gente conseguisse chegar aos executores. “Quando elas ficaram prontas e puderam ser veiculadas as denúncias começaram a chegar à delegacia e um dos três executores, o Romildo – conhecido como Tancredo – foi identificado”. A irmã dele disse ter o reconhecido pelas imagens e falou conhecer os outros três envolvidos. “Todos eles confessaram o crime, um entregou o outro”, disse a delegada. Sobre o mandante, Beatriz contou que “Ouvindo testemunhas, funcionários e ex-funcionários, ficou comprovado que o Leonardo, dono do Ponto do Açaí, foi o mandante do crime”. 

A motivação, segundo a delegada, foi a disputa pela clientela, “como os dois pontos são muito colados, a disputa era que os clientes não preferissem a loja ao lado ou consumissem o produto concorrente em suas mesas”. 

Os três executores já haviam sido presos anteriormente e Leonardo já respondeu Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por ameaça e já fizeram B.O por agressão. “A investigação deixou claro que o dono do Ponto do Açaí tem um perfil explosivo e as consequências poderiam ser maiores”, disse Leite.

A delegada aponta que meses antes de atear fogo, Leonardo já havia avisado ao dono da Casa do Pará que iria fazer isso. Romildo, braço direito do mandante do crime, ainda está foragido. Eles foram indiciados por incêndio criminoso e os executores também por roubo consumado por levarem pertences do segurança. Leonardo também foi indiciado por coação por continuar realizando ameaças. 

COMENTÁRIOS dos leitores