Especialista critica 'falta de Estado' na América Latina

Gustavo Restrepo fez ponderações sobre a juventude e como as cidades enaltecem a segregação

por Taciana Carvalho ter, 25/07/2017 - 18:10
Taciana Carvalho/LeiaJá Imagens

Uma das palestras mais esperadas da tarde desta segunda (25), no 4° Congresso Pernambucano de Municípios, que acontece no Centro de Convenções de Pernambuco, foi a do consultor e referência internacional na recuperação de áreas degradadas, Gustavo Restrepo. Na ocasião, o especialista disse que dos 600 milhões de habitantes na América Latina, 39% vivem em estado de pobreza. 

O arquiteto e urbanista falou ainda que 20% da população mundial estão entre a faixa de 15 anos e 26 anos. "Que hoje não têm oportunidade e são considerados inoportunos, ou seja, não são bem-vindos", disse.

Ele alertou que esses jovens que estão ficando "distantes" das oportunidades estão sendo considerados deliquentes. "Mas eles se aproximam da guerrilha e do narcotráfico porque é uma maneira de resolver o tema econômico e não porque queriam estar lá".

Gustavo Restrepo ainda criticou o Estado. "E o Estado não chega a resolver os problemas e a ingovernabilidade será precisamente pela falta de Estado", alfinetou.  Também ressaltou que as cidades estão sendo construídas através da "segregação", que traz como consequência uma infinidade de riscos. 

O consultor, em seu pronunciamento, disse que se tivermos cidadão educados, haverá uma cidade respeitável. "Eu sugiro que uma cidade transformadora é aquela que é capaz de construir um cidadão para o futuro". Ainda falou que o aquecimento climático chama a atenção da mídia pelos riscos trazidos pela seca.

COMENTÁRIOS dos leitores