Lei Antifumo reduz mortes e internações em São Paulo

A legislação completará oito anos e traz benefícios para a população

por Geovanna Bertaioli seg, 19/06/2017 - 18:24

A lei que delimita o consumo de cigarros e seu derivados em ambientes parcialmente ou totalmente fechados no Estado de São Paulo vem trazendo diversos benefícios aos fumantes e não-fumantes.

A tese de trabalho de doutorado da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) constata que, no período de 17 meses, a Lei Antifumo paulista foi responsável por evitar 571 mortes por enfarte e 228 mortes por acidente vascular cerebral.

Promulgada em 2009, a Lei proíbe o consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos ou qualquer outro produto derivado em ambientes fechados. O valor da multa por descumprimento da lei é de R$ 1.253,50 e dobra em caso de reincidência. Na terceira vez, o estabelecimento é interditado por 48 horas, e na quarta, o estabelecimento é fechado por 30 dias.

Um levantamento da Secretaria de Estado da Saúde, publicado este ano indica a aplicação de 3.795 multas, em mais de 1,7 milhão de inspeções realizadas até meados de maio de 2017. A medida visa combater os efeitos do “consumo passivo”, considerado a terceira causa de morte evitável no mundo, dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). 

COMENTÁRIOS dos leitores