Homem atropela multidão na saída de mesquita em Londres

De acordo com Khalid Amin, outra testemunha entrevistada pela BBC, o agressor gritou: "Todos os muçulmanos, quero matar todos os muçulmanos."

seg, 19/06/2017 - 18:37
Daniel LEAL-OLIVAS Peritos trabalham na área do atropelamento Daniel LEAL-OLIVAS

"Quero matar todos os muçulmanos!", gritou um homem de 48 anos ao dirigir sua van contra fiéis que deixavam a mesquita de Finsbury Park, no nordeste de Londres, na madrugada desta segunda-feira, segundo testemunhas.

A multidão deixava a mesquita pouco depois da meia-noite neste mês do Ramadã, quando muitos fiéis se reúnem para rezar à noite depois da ruptura do jejum, quando a van branca atropelou um grupo de pessoas que tentavam ajudar um outro que havia desmaiado. "A van de repente virou à esquerda e deliberadamente atingiu as pessoas", contou Abdiqadir Warra à AFP. "Ele subiu na calçada e passou por cima das pessoas. Arrastou algumas por vários metros", acrescentou. "Um deles acabou sob a van e várias pessoas se reuniram para levantar o veículo para tirar o homem que estava em baixo", relatou.

De acordo com Khalid Amin, outra testemunha entrevistada pela BBC, o agressor gritou: "Todos os muçulmanos, quero matar todos os muçulmanos."

'Os terroristas não têm cor'

Os transeuntes conseguiram imobilizar o motorista que tentou fugir. "As pessoas o cercaram" até a chegada da polícia que o prendeu, de acordo com Amin.

Segundo a polícia, o homem tem 48 anos e agiu sozinho. Ele foi levado para um hospital para passar por uma avaliação psicológica. "As pessoas gritavam: 'foi um ataque terrorista, este homem nos atacou'", declarou outra testemunha chamada Athman. "Eu, então, voltei para tentar ajudar as pessoas, dar-lhes água, ajudar a polícia". De acordo com ele, o autor do ataque fazia "sinais de vitória na viatura da polícia, ele estava muito feliz".

Enquanto a tensão e a ansiedade seguem palpáveis nas últimas semanas entre os muçulmanos britânicos após três ataques reivindicados pelo grupo Estado Islâmico desde 22 de março, Athman enfatiza: "Ele escolheu o momento, escolheu o lugar e escolheu o alvo. Este é o mês sagrado do Ramadã".

"As pessoas não se sentem seguras porque desde os ataques terroristas em Londres e Manchester, houve um aumento da islamofobia e crimes de ódio", disse o presidente da mesquita de Finsbury Park, Mohammed Kozbar. "Nossa comunidade está em choque", disse ele, condenando o "ataque terrorista hediondo" e chamando os fiéis que frequentam as orações para ser vigilantes.

Alguns criticaram a lentidão da polícia para descrever o ataque de terrorista, considerando haver dois pesos e duas medidas. Para Adnan Rashid, "os terroristas não têm cor, eles não têm religião, eles não pertencem a nenhuma comunidade". "Eles têm uma mentalidade de que matar pessoas, é tão simples como isso", disse à AFP.

COMENTÁRIOS dos leitores